terça-feira, 19 de junho de 2012

Pão de cará com centeio vira focaccia


Pão murcho vira focaccia
Nem sempre tudo dá certo, mas também nem sempre tudo está perdido. Fui convidada para ir junto com uma turma de nutrição da USP conhecer a feira de orgânicos do Parque da Água Branca e depois fazermos um piquenique debaixo das árvores. Resolvi fazer um pão de cará, mas descuidei do tempo na segunda fase de crescimento, depois do pão moldado, e o glúten, já enfraquecido pela presença do cará, dos flocos de centeio e da farinha integral, espichou, espichou, até que se rompeu. Odeio quando isto acontece, mas a massa estava tão boa que resolvi assar assim mesmo. Claro, em vez de pão, nasceram quatro tapetes retangulares. Ainda assim, estavam muitos gostosos, não só quando estavam quentinhos mas também hoje pela manhã, quando já tinha desistido de levá-los. Estavam muito macios. 


Então resolvi aproveitar o formato de focaccia e cortei a borda de todos para que ficassem mais regulares. Usei as bordas para torradinhas - lá embaixo.  Aí foi só besuntar todos com azeite e espalhar por cima alecrim, tomilho, flor de sal e orégano. Cortei em quadrados e coloquei no forno quente por uns cinco minutos, apenas para grudar um pouco a cobertura. Levei ao piquenique e não sobrou um para fotografar em melhor luz. Vai aí a receita certa. 

O pão cresceu demais e murchou
Virou focaccia improvisada 
Pão de cará com centeio 

Numa bacia dissolvi 10 g de fermento biológico seco com um pouco de água (de um total de 1 e 1/2 xícara ou 360 ml). Juntei o restante da água, 2 colheres (sopa) de mel, 1 de sal (ambas rasas), 1 colher (chá) de endro, meio quilo de cará cozido e amassado (amassado quente, usado nesta receita frio), 1 xícara de flocos de centeio, 1 xícara de farinha de trigo integral e farinha de trigo branca aos poucos, num total de 600 g aproximadamente. Sovei, sovei e quando a massa estava bem homogênea, se soltando das mãos, acrescentei 100 g de manteiga em pedacinhos. Sovei mais um pouco só para uniformizar e deixei crescer até dobrar de volume. Dividi em 4, modelei os pães e deixei crescer mais um pouco já na assadeira untada e enfarinhada  (nesta fase, deixei crescer muito, até o pão murchar de novo e isto, claro, é um erro). Fique atento a esta fase porque trata-se de uma massa mais frágil. Não posso dizer por quanto tempo você vai deixar crescer porque depende da temperatura ambiente, mas quando os pães lhe parecerem bojudinhos, quando apertar com o dedo e a massa voltar rapidamente, está bom. Faça cortes na superfície dos pães, leve a assadeira ao forno pré-aquecido bem quente, deixe assar por 10 minutos e diminua a temperatura para média. Deixe assar mais 50 minutos e veja se estão bem corados.  Bem, nada disso der certo, faça focaccia. 

Rende: 4 pães ou vários quadrados de focaccia

O piquenique no parque com alunos da nutrição - USP
As torradinhas 


As bordas foram cortadas em fatias mais finas
Fiz um pesto com tomilho, alecrim, manjericão, um pedacinho
de pimenta sem semente, sal e azeite 
Coloquei o pesto num saquinho e chacoalhei com o pão 
Espalhei numa assadeira 
Torrei no forno e nhac!

8 comentários:

compassionatecuisine disse...

Que receita bem interessante de focaccia :)

Janice Adja disse...

Deve ter ficado uma bolacha.
Quando faço algo que fica meio dura, rsrsr já digo que para molhar no suco ou chá. Assim as pessoas que não possuem os dentes de ficam sem provar. aprendi na escola. rsrsr

saboracasa disse...

ficou com ótimo aspeto e de certeza bom :)

saboracasa disse...

ficou com ótimo aspeto e de certeza bom :)

Fábio Metello disse...

OI Neide!!
Nossa!!você me deu uma ótima idéia...toda semana faço pães integrais com castanha do pará ..faço pra mim e pra venda...e ás vezes acontece isso....ótima idéia essa da focaccia..assim aproveito como companhamento nas aulas aqui em casa!!

valewwwwww
abs
Fábio

Juliana disse...

oi neide!
vendo as fotos e lendo as coisas, surgiu uma perguntinha bem besta:
você usa pilão pra fazer pesto?
:)

acontece vez por outra do pão desandar, viva a criatividade...! vou me lembrar dessa!

obrigadinha
um beijo

ju

Neide Rigo disse...

Ju, sim, eu uso o pilão. Acho que fica mais gostoso. N

Leticia Cinto disse...

Adorei a ideia de colocar o pesto e as fatias de pão no saquinho plástico para espalhar! Eu nunca consigo passar uniformemente e essa é A solução! Outra coisa, estou sempre procurando um pilão desses pra comprar e só acho aqueles com "grife". Tem alguma dica de onde encontrá-los em SP? Ou eles estão se escondendo de mim? heheheh
Bjs!