segunda-feira, 18 de junho de 2012

Cereja-de-joinville, murtinha, cambuí-roxo



Respondendo à charada: pois é, eu já tinha dito, parece mas não é.  Parece jambolão (jamelão é aquele outro fruto grande, cruá), azeitona, açaí e até café maduro, mas não é. Pelo menos a Zezé acertou que era uma Eugenia (o gênero) e o Sérgio-Lisboa matou o enigma: Eugenia candeollana. A Mariângela acertou que os frutinhos estavam numa cerâmica do marido Rui Gassen. Já é alguma coisa. 
Agora, os outros leitores não precisam ficar se sentindo inábeis em frutas porque em matéria de ignorância, neste caso me incluo. Pelo menos até há poucos dias. 
Estava lá na praça, no último piquenique, quando o Marcos chegou com uma frutinha na mão. Veja, o que é isto? Não sei. Onde achou? Ele me mostrou a calçada da casa abandonada e eu provei uma pontinha da bolinha rubi. Era doce, mas não quis arriscar mais. Na volta para casa, passamos por lá e colhemos algumas. 
Eu passo há anos por aquela calçada e nunca tinha visto a planta de folhas brilhantes com galhos pendendo pra rua. Já vi naquela casa pato, galinha, bananeiras e várias outras curiosidades de acordo com os hábitos de quem dela toma conta. Deve haver problemas com herdeiros, sei lá, pois a casa está abandonada desde que moro na Lapa. Só sei que é uma construção de lindo projeto e com quintal espaçoso em frente à praça onde fazemos piqueniques, mas que faz esquina com uma avenida movimentada.
As mudas que consegui pegar

As folhas brilhantes

Podem ter uma ou duas sementes como as de pitanga
Diferente de outras Eugenias, não tem bicho - não que eu tenha visto

Colhemos frutas e demos seguimento às atividades do Exército de Drummond, cujo propósito é salvar frutas em situação de risco (não em risco de extinção). Por isto catamos da calçada várias sementes germinadas e arrancamos mudinhas em formação (já estão todas aqui replantadas, todas muito bem obrigada).
Chegando em casa corri com frutos, folhas e sementes para o livro "frutas Brasileiras e exóticas cultivadas", do Harri Lorenzi e outros. Tive quase certeza que era uma mirtácea quando vi a árvore, parecida com uma jabuticabeira. Então não foi difícil. Eugenia candolleana DC, também conhecida como ameixa-da-mata, murta, murtinha. Estes três nomes são muito infelizes para identificá-la pois são aplicados a outras frutas (ameixa-da-mata também é um dos nomes da grumixama, por exemplo). Encontrei outros nomes como cereja-de-cachorro, cambuí-roxo, camboim, cambuí-da-praia, cambuí-pitanga. Mas cambuí ou camboim também denomina outra fruta e cereja-de-cachorro é nome desmerecedor do potencial culinário da fruta (sem falar nutricional, óbvio).  Acho que um nome bom é cereja-de-joinville. Ainda que eu não saiba o motivo da denominação de origem, dificilmente será confundida com cereja-do-rio-grande, também chamada de cereja-do-mato, e outras mirtáceas.  Fiquemos pois com cereja-de-joinville. 

E digo que não sei o motivo, porque a informação do livro é que a fruta é originária da mata pluvial atlântica do Rio de Janeiro e Espírito Santo e na Zona da Mata mineira. Alguém de Joinville pode me dizer se a planta cresce e frutifica com fartura por aí?  O que sei é que a fruteira é rara não só no seu ambiente natural como também em pomares. Isto explica a nossa ignorância, minha e sua, leitor que não acertou a charada. 
Até que se parece com o jambolão, mas os frutinhos são mais esféricos, só ligeiramente ovalado (o jambolão é mais comprido) e não tem aquele tanino trava-papila. São deliciosos comidos in natura, lembra um pouco uma mistura de jabuticaba e grumixama. A pele é fininha, grudada à polpa, com coloração rubi escura, e não precisa ser separada na hora de comer, contribuindo com o sabor-mistura daquelas duas frutas. A polpa é branquinha, úmida, macia, traz uma leve acidez e é muito doce e aromática. Como eu não tinha muitas, comi algumas e conservei as outras em calda de açúcar enquanto decidia o que fazer. O interessante é que em calda grossa a polpa se desidrata um pouco, demonstrando ser a pele bastante porosa. Ela cozinha mas não racha o que me deu a ideia de usar como passas ou ameixas em calda. Foi o que fiz: comi com manjar. Mas poderia ter descaroçado e usado os pedaços em bolos ou muffins ou cozinhar junto com um frango, sei lá. Isto, é claro, além de poderem virar sucos, sorvetes, geleias e afins. 
Cereja-de-joinville em calda e o manjar


Cozinhei algumas cerejas-de-joinville numa calda de açúcar (primeiro cozinhei 1 xícara de açúcar e 1 de água até formar uma calda e só então coloquei as cerejas) por cerca de 10 minutos ou até que as cascas estivessem enrugadas, coloquei em vidro aferventado, escorrido e ainda quente, tampei e guardei. 


Para o manjar misturei tudo numa panela: 1 xícara de leite, 3 colheres rasadas de maisena, 3 de açúcar e 1/4 de xícara de coco ralado fresco. Levei ao fogo e deixei cozinhar, mexendo sempre, até engrossar. Enquanto ainda estava quente, distribuí em duas forminhas, esperei esfriar e gelar. Desenformei e servi com uma calda de caramelo à qual juntei algumas cerejas-de-joinville em calda e nhac! Lembrando de tirar as sementes na boca. 




30 comentários:

Mãe 24h disse...

Olá queria.Sou de Joinville e confesso q essa assim redondinha nunca ví por aqui...aqui tem um pé de cereja roxa,mas não é assim redondinha não...ela é mais pontudinha...e "trava"um pouquinho...mancha pra caramba tbém...Se cair alguma na roupa fica um roxo bem forte...rs...a gente quase não come aqui não.mas essa assim.redondinha...carnuda aqui em Joinville,nunca ví...e nem conheço nenhum pé.Estranho o nome...Abraços.jamile.

marta.hoffmann disse...

Oi Neide,
Brincando,brincando,acertei o nome cereja (rsrsrs),soh não acertei cereja de joinville e esta ai eh originaria da mata atlantica.As que colhi ontem eram cerejas pretas e achei mto.parecidas com as que vc.colocou as fotos.Como tenho mtas.cerejas, foi aproveitar a sua receita feita com as cerejas dai e ver como ficam feitas com as cerejas pretas daqui.Abraços, Marta

Janice Adja disse...

ah! Eu nunca tinha ouvido falar.
Legal.
beijos!

Anônimo disse...

BOA TARDE, NEIDE. SEMPRE ACOMPANHO SEU BLOG, ESTOU SEMPRE APRENDENDO COM SUAS "REPORTAGENS", DICAS, RECEITAS, COM TUDO.
TENHO PROCURADO INFORMAÇÕES NA NET (INCLUSIVE NO SEU BLOG) SOBRE LEITE DE AVEIA, LINHAÇA E MESMO LEITE DE OUTROS CEREAIS (PARA MINHA SURPRESA, ATÉ LEITE DE ALPISTE EXISTE).
VOCÊ PODE ME DIZER QUAL A QUALIDADE DELES, PRINCIPALMENTE EM COMPARAÇÃO AO LEITE DE VACA? OU VOCÊ PODE ME INDICAR ALGUM SITE CONFIÁVEL SOBRE O ASSUNTO?
OBRIGADA PELA ATENÇÃO E PARABÉNS PELO SEU TRABALHO.

RAQUEL.

rwichguimaraes@ig.com.br

Gabi disse...

Quando eu passar lá, vou prestar atenção às frutinhas tb e se tiver, experimentar umas tb :)

Paulo disse...

Neide,
Em Sao Jose dos Campos - SP, tinha um vizinho que tinha uma arvore dessa cereja-de-joinville, que ele chama de cereja simplesmente.
Abracos,
Paulo

Raquel de Oliveira disse...

Tô com água na boca. Será que elas crescem aqui no RS? Parecem muito saborosas.
Teu blog é uma inspiração, adoro.
Um grande beijo!

Raquel de Oliveira disse...

Tô com água na boca. Será que elas crescem aqui no RS? Parecem muito saborosas.
Teu blog é uma inspiração, adoro.
Um grande beijo!

Gerlinde in Dallas disse...

I had to look it up. It's also known as Rainforest Plum (Eugenia candolleana). I had never heard of it, but it looks quite interesting!

Anônimo disse...

Olá!
Não moro em Joinville,mas, no extremo sul de santa catarina em Forquilhinha e aqui no sítio do meu sogro tem um pé destas cerejas, que são um delícia e não requerem muitos cuidados ou um solo extremamente tratado. Meu sogro comprou uma muda e plantou próximo do açude e encheu..

Neide Rigo disse...

Anônimo,
obrigada pela preciosa informação sobre a fruteira no sítio do seu sogro. Um abraço, N

Neide Rigo disse...

Jamile, a de que fala deve ser o jambolão, não? Ou a grumixama, ou a cereja-do-rio grande.

Marta, pois é, não é exatamente uma cereja, mas pela semelhança acabam sendo denominadas assim estas mirtáceas. De qualquer forma, fico morrendo de inveja da sua colheita de cerejas cerejas.

Janice, agora já conhece.

Raquel, embora recebam nome de leite estas bebidas tem valor nutricional bem diferentes. São nutritivas e boas opções na cozinha quando não se pode usar leite, mas são diferentes. Não me ocorre agora nenhum site para lhe indicar, mas vá ao google acadêmico ou ao site do Pubmed que deve encontrar comparações.

Gabi, é mesmo, você deve conhecer a casa, sendo da Lapa. Veja lá.

Paulo, obrigada por dar a localização, assim vamos sabendo que ela está presente em vários lugares.

Raquel, deve crescer. Parece que se dá bem em todo o Brasil.

Gerlinde, thank you!!

Um abraço, N

Salete disse...

gosto dessa casa!
qeria o quintal dela pra chamr de meu rsss
sempre penso nas historias que essa casa guarda...
adorei a eugenia!
bjka
salete

Anônimo disse...

oi! pela foto, parece uma frutinha que conheci há pouco aqui em Curitiba. Chamam de tarumã ou de azeitona do mato. Será a mesma?

clau disse...

Ai Neide, eu amei este seu post!
Sou meio que louca por estas coisas, plantinhas diferentes!
Na Itália sempre tento, e quase sempre consigo,transferir plantas nativas para a minha casa. Principalmente aquelas com flores lindissimas e, tb, algumas vzs, cerejas e amoras selvagens, tb.
Será que ainda tem alguma mudinha ali para eu poder pegar...?
Bjs!

Matoso disse...

Prezada Neide,nos jardins (ou será pomar?) da antiga ESAL (Escola Superior de Agricultura de Lavras-MG,)tem uma grande planta semelhante a esta,produzindo frutas semelhantes ,quando aluno fiz mudas e levei para o interior de Minas,como era monitor de botânica eu a chamava de Eugenia.Voce saberia dizer-me se o tronco solta as cascas ,semelhantes as jaboticabas?

Juliana disse...

ay caramba,
legal demais essa sua maneira, andar por aí pegando as coisas na rua, olhar atento, descobrindo ingredientes.

além desse livro que mencionou, o que você aconselha como leitura sobre plantas comestíveis brasileiras?

essa dona eugênia, estou a caçar. essa casa aí não está longe de alguma rota minha...

abraço,

Ju

Greice Joinville/SC disse...

Olá Neide tbm sou de Joinville/Sc e esta frutinha me surpreendeu hehe nunca vi algo parcedio aqui, a q a Mãe24h disse dá em uma arvore frondosa e que faz a felidade dos passarinhos e a tristeza dos donos de carro, aqui temos sim a grumixama mas ela não é parecida eu achei uma foto para mostrar qual é comum por aqui.
haha que coisa louca adorei rsrs
Beijos..

http://www.google.com.br
/imgres?imgurl=http://3.bp.blogspot.com/_wQZ-DdUCnaM/TNcWmp-KzmI/AAAAAAAAAeU/56ANiDHrsxk/s1600/grumixama.jpg&imgrefurl=http://lilliverdi.blogspot.com/2010/11/grumixamavoce-conhece.html&h=300&w=400&sz=26&tbnid=Ub4EuZm7DWzA0M:&tbnh=95&tbnw=127&prev=/search%3Fq%3Dgrumixama%26tbm%3Disch%26tbo%3Du&zoom=1&q=grumixama&usg=__8dwTqszX5wD1vrMepoTHHvrR970=&docid=DDQLPAlwBCILWM&hl=pt-BR&sa=X&ei=gk3jT_XfOIyk8ATG2IyHCA&sqi=2&ved=0CGoQ9QEwAA&dur=671

Gisavasfi disse...

Mesmo tendo errado o nome (eu respondi jamelão) amei conhecer mais uma fruta. Acho incrível a diversidade de frutos que temos por todo o Brasil e acho muito triste que não existam muitas cidades com árvores frutíferas nas calçadas. Acho que as prefeituras deveriam plantar mais árvores frutíferas nas ruas e praças. Parabéns para aqueles que plantam em ruas e praças.
A frutinha que conheço como jamelão, por fora é parecida com esta e do tamanho de uma azeitona, mas pelo que me lembro, por dentro também é roxa, e mancha muito. Na frente da casa de meu avô, no Rio de Janeiro, tinha um pé que fazia a minha festa. A árvore era linda e os frutos uma delicia. Me foi apresentada como jamelão. Regionalismos...
Amei saber mais um pouco. Abraços.

Neide Rigo disse...

Salete, você também conhece esta casa? Eu também penso nisto.

Anônimo, não conheço o gosto da tarumã, mas as plantas são bem distintas. Não são a mesma coisa, não.

Clau, deixei ainda várias mudinhas lá. Aproveite, quando estiver por aqui.

Matoso, sim, a planta é muito parecida com a da jabuticaba.

Greice, obrigada pela informação.

Juliana, é só procurar nas livrarias na seção de agricultura, por exemplo. Tem tantos.

Gisavasti, agora já conhece. Obrigada pelo comentário.

Um abraço, N

Anônimo disse...

Oi Neide, não sou de Joinville, mas Blumenau/SC e no terreno da casa dos meus pais existe uma enorme árvore dessas e quando eu era criança comíamos muito dessa frutinha, só não sabia q ela servia pra outros fins! Pode não ser Joinville, mas ela aparece em SC!
Abraços Helena

Salete disse...

oi neide,
morrei a vida toda [rss] lá para os lado de pirituba city. a casa fica na rota de, praticamente, todos os "busao" que peguei...
haja historia rsss
bj

pricila lopes disse...

olá neide sou de recife-pe. ja provei dessa fruta no interior de pernambuco na cidade de sao jose do belmonte e é igualzinha a da foto que voce tem la ninguem sabe que é uma fruta exótica e rara algumas pessoas tem medo de come-las mas sao saborosas la so tem frutos maduros de fevereiro pra maarço e só encontramos no meio do mato.fiquei feliz por saber que mas pessos conhecem essa fruta e graças aa seu blog, parabéns.

Fabio Pereira disse...

Boa tarde,
Alguém sabe onde posso encontrar uma muda para comprar dessa espécie? Ou alguém que tenha sementes para me enviar.
Contato: fabiopereira@irmaos.com ou 98252-7040 ( Tim )
Muito obrigado!

primoluchini@gmail.com disse...

Olá Neide, Moro em Balneário Piçarras - SC, próximo a Joinville. Esta semana estive na casa de um amigo experimentado essa "tal fruta". Idêntica a que você postou, inclusive o caule tem semelhança com pitanga, jabuticabeira, cereja portuguesa, goiabeira, que são árvores que soltam a casca. Ele também não sabe o nome,pois ganhou a muda de um parente do oeste catarinense. Resolvi procurar no "santo google" Eu acredito que o verdadeiro nome seja "Tarumã do Cerrado " Posso te enviar algumas fotos.

Tio Chico disse...

Eu tenho um pé em casa, e frutificando. Já enviei sementes para Manaus e São Carlos. Só tenho consumido "in natura", mas este ano pretendo fazer geleia. Tenho algumas mudas, e dois pés plantados em outros lugares do terreno.Tenho observado que dá de duas a três florações por ano. e os únicos passarinhos que as comem são os sanhaços, e sempre os frutos da segunda e terceira floração, talvez porque, na primeira floração, exista muita disponibilidade de outras frutas, e os passarinhos não as procuram. Os frutos são suscetíveis ao ataque da mosca das frutas (Ceratitis capitata), mas faço o controle destas pragas com armadilhas bola, que funciona muito bem. As sementes são ditas recalcitrantes, porque perdem rapidamente o poder de germinação (10 dias). Posso fornecer mudas e sementes a quem se interessar. Basta entrar em contato no telefone (47) 3278-0817.Breve o pé vai florescer, já emitiu brotos e folhas novas.

Anônimo disse...

boa tarde alguém pode me responder se a frutinha preta e a mesma,áqui em goiás conhecida como jábolão,pois é idêntica.

Leo testut disse...

Essa semana passando pela calçada(aqui no rj) vi esses frutos e comi...delicioso...e hj vim a saber ser o CAMBUI ROXO...CEREJA DE JOIVILE ...

Lika Furtado disse...

Alguém teria sementes dessa fruta para doar/trocar ou vender??? Estou atras destas sementes e também da fruta guamirim...

Anônimo disse...

As cerejas de Joinville não são redondas,são ovais.e sua cor é roxa,são doces e saborosa só
que mancham na Sociesc de Joinville tem 5 arvores enormes e perto da Maternidade também tem.elas dão frutos de outubro em diante ,as vezes até janeiro.