quarta-feira, 16 de maio de 2012

Cogumelo amazônico. Come-se?

Tem quem não goste. Eu adoro aquele perfume de madeira mofada de casa de praia fechada. É o cheiro que a gente sente quando anda pela floresta quente, úmida, abafada. E os responsáveis pelo cheiro estão todos lá,  às vezes escondidos sob troncos caídos, mimetizados sobre um tapete de folhas molhadas ou  abelhudos a assuntar o caminho com grandes orelhas de pau em cores chamativas. São cônicos, deprimidos, convexos, planos e, segundo nosso interesse gastronômico, certamente se agrupam em medíocres, excelentes, aptos ou não aptos para o consumo, tóxicos ou mortais. Mas quem arrisca?  Eu tenho a maior esperança em especialistas como a professora Noemia Kazue, do Inpa (Instituto nacional de pesquisa na Amazônia) para nos desvendar este rico mundo dos cogumelos comestíveis de todo o Brasil, que ainda é um mistério para nós.  Os cogumelos abaixo e o de cima,  fotografei no Ramal do Remansinho que faz parte do distrito de Lábrea, Amazonas. Algum micologista de plantão saberia identificá-los?

















12 comentários:

Maria das Graças disse...

Neide, esse post para mim é pioneiro na divulgação do que se faz e do que se estuda atualmente sobre cogumelos no Brasil. Nunca tinha lido nada sobre esse assunto. Espero que daqui há alguns anos, tenhamos, como consequência, cogumelos genuinamente brasileiros para o nosso consumo. Sou apaixonada por cogumelo fresco e me delicio com o seu delicioso cheiro e sabor.

Anônimo disse...

Nooossa! Cheiro de casa de praia fechada é o meu cheiro preferido, se pudesse engarrafava.Só conheço mais uma pessoa que também gosta:meu filho.

Lugar não sei de onde disse...

Bom Neide faço parte de uma ONG chamada Instituto Cerrado e Sociedade(ICS). Dentro do qual faço parte de um Nucléo de estudos e pesquisas alimentares(NEPA) um dos projeto de pesquisa é voltado para cogumelos comestiveis do Brasil. Por hora estamos focados no cogumelo da terceira foto, Polyporus Tenuiculus. No entanto, já temos catalogadas outras espécies. Um grande problema no Brasil é a falta de gente interessada em pesquisar cogumelos como fonte alimentar.

Mariangela disse...

Neide,por coincidencia,ontem eu e Rui falávamos sobre isto,sobre a quantidade de cogumelos comestíveis que deve ter por aí e ninguém conhece nem faz ideia.Porque aqui as pessoas apreciam um monte,e fazem colheitas pelas montanhas nas épocas certas,são muito apreciados e valorizados,a colheita e esta cultura de apreciá-los. Rui sempre lembra daqueles lá do sul,os cogumelos do eucalipto,que creio que em outros lugares não se conhece muito..beijo!!

Esther disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Esther disse...

Meu avô ensinou à minha mãe o seguinte: cogumelos comidos por formigas provavelmente não são venenosos, caso não haja formigas ao redor do cogumelo, nem pense em colocar a mão neles... Pelas fotos, o meu avô diria que são todos venenosos... E também queria saber se o que ele dizia tem algum fundo de verdade....

Neide Rigo disse...

Maria das Graças, já tem muita gente pesquisando, como pode ver no comentário abaixo, o Nepa, por exemplo. Eu também espero um maior conhecimento sobre eles. Por enquanto, ainda tenho medo.

Lugar não sei, que bom saber disso. A gente pode ter acesso a estes cogumelos catalogados? Espero que mais pesquisadores se interessem pelo assunto.

Mari, ainda somos jovens, vamos aprendendo aos poucos. Os cogumelos do eucalipto são maravilhosos, não? Eles estão aqui: http://come-se.blogspot.com.br/2008/05/porto-alegre-parte-4-cogumelo-do.html

Esther, na Amazônia há formigas por toda parte, então acho que fica difícil saber usando este critério.

Um abraço, n

Juliana disse...

acho incrível, o aspecto e o tipo de vida que levam esses seres.
também tenho receio, mas fico fascinada.
muito bonitas as fotos. parecem meio bicho, meio planta, meio problemas de pele. rs

estive na amazônia há alguns anos... infelizmente andei meio desapercebida dessas curiosidades. vi algumas coisas, mas meu olhar ainda não estava tão atento.
mais um agradecimento, neide, ando aprendendo muita coisa por aqui.

(cogumelos de eucalipto?!! terei de experimentar isso.!)

abraço
ju

Anônimo disse...

Lindas fotos, lindos formatos. Comestíveis ou não, certamente servem à natureza de alguma forma, o que já me satisfaz. Parabéns pela percepção. Abç
Izabel

Lugar não sei de onde disse...

Fazer uma correção o Poliporus é o cogumelo da terceira foto. Existe um conhecimento indigena sofisticadissimo sobre cogumelos. E para relatar mais uma aventura recentemente em pirinopolis encontramos um cogumelo cujo o cheiro e sabor puxava muito para castanha do pará. Só para citar o potencial! O interessados em saber mais dos projetos do Nepa podem entrar em contato com nepa@cerrados.org

Anônimo disse...

Oi Neide!
Faz tempo que eu queria te mandar um eamil sobre uma idéia para lhe sugerir, hoje achei o gancho.
Eu ia lhe propor um espaço no seu blog para respostas de dúvidas. Seria algo assim: COME-SE? Aonde enviaríamos fotos para tirarmos dúvidas sobre certas espécies.
Adoro seu blog!
Abraços!
Zu Freitas

Neide Rigo disse...

Zu,
muito legal sua sugestão, mas acho que eu não tenho muito tempo para isto. Adoraria ter.
Um abraço, N