segunda-feira, 28 de maio de 2012

Biscoito com amêndoas de cupuaçu


Ontem os amigos Marly e Marcelo estiveram aqui para um chá, trazendo um saco de cinco quilos de amêndoas de cupuaçu que vieram do Acre na bagagem do Pablo, que retirou a encomenda em Acrelândia com a Susana, que me fez a gentileza de ir buscar em Nova Califórnia - RO, na sede do Projeto Reca. Lendo o primeiro post a respeito, você vai saber um pouco mais a respeito do projeto e das castanhas que, sem o pericarpo, são chamadas internacionalmente de nibs, como os nibs de cacau. O trabalho de tirar a casquinha dura é ingrato - coisa de meia hora pra livrar 150 g de pedaços crocantes.  Mas vale a pena. A Dendê adora e não ouvir o barulho das sementes que vem correndo e fica embaixo esperando por migalhas. Quando cai uma inteira no chão, ela pega e sai correndo pra comer no tapete. A danada já desenvolveu técnica própria para tirar a casca, mas a gente demora um pouco pra pegar o jeito. No começo as unhas ficaram pretas, até que descobri que a casca quebradiça pode ser partida com o descascador de pinhão. Aí é só usar uma faquinha para separar a polpa. São como folhas finas e crocantes de chocolate amargo sobrepostas, cheias de aroma. Resolvi testar em biscoitos. Peguei uma receita clássica de cookies e fiz algumas alterações, como substituir o ovo por polpa de cupuaçu e a baunilha por canela em pó, que combina muito com a acidez da fruta e tem uma certa liga (quando tirada na tesoura, direto da fruta) e gotas de chocolate, por nibs de cupuaçu. Quem sabe um dia você se depara com estas amêndoas?  Comece a pedir para o Projeto Reca  ou para um fornecedor da Bahia, Eduardo que já entrega sem as casquinhas.  E veja também nas lojas de produtos orgânicos. Precisa ter demanda pra começarem a vender e,  por mim, terá muita, pois estou com outros usos em mente.  Mas já aviso, é só pra quem gosta de chocolate amargo, cem por cento. É amarga, não tem doçura alguma, mas tem crocância, cor, sabor e aroma muito tentadores, como o café, o chocolate.  


Algumas saem inteiras. Outras, nem tanto
A bolinha de pelos à direita, sob a mesa, é Dendê à espera de migalhas



Biscoito com amêndoas ou nibs de cupuaçu


200 g de manteiga em temperatura ambiente
100 g de açúcar mascavo
100 g de açúcar cristal 
1 pitada de sal (se a manteiga for sem sal)
60 g de polpa de cupuaçu (integral, sem adição de água)
2 colheres (chá) de canela em pó
300 g de farinha de trigo  
150 g de amêndoas de cupuaçu sem pele picadas grosseiramente 


Na batedeira, em velocidade máxima, bata a manteiga até ficar cremosa e esbranquiçada. Junte os dois açúcares aos poucos, sempre batendo. Coloque o sal, se for usar. Continue batendo e acrescente a polpa de cupuaçu aos poucos, batendo bem para que ela se espalhe bem pela massa (para facilitar, pique bem antes de acrescentar). Diminua a velocidade da batedeira e acrescente a canela e a farinha peneirada, aos poucos. Não bata muito - só o suficiente para misturar. Se não tiver experiência (e acha que vai acabar mais que o necessário, deixando a massa dura), o melhor é desligar a batedeira e misturar a farinha com uma espátula. Por fim, junte as amêndoas e misture. Pré-aqueça o forno à temperatura média. Unte formas com manteiga e coloque bolas disformes feitas com uma colher de sobremesa. Achate com garfo e leve ao forno para assar por cerca de 20 minutos ou até começar a dourar por baixo. Tire do forno (os biscoitos ainda estarão moles e frágeis), espere esfriar para ficar bem crocante e nhac!  Rende uns 50 biscoitos (depende do tamanho que fizer). 

Dendê está viciada. Sabe tirar a pele, nhac e vem pedir mais



16 comentários:

Gilda disse...

Neide, as fotos e receitas estão tentadoras. Tomara eu encontre estes nibs, que viraram um desejo. Amo quando você fotografa a Dendê. A malandrinha sabe o que é bom. Mas, no caso das sementes de cupuaçú, por terem teobromina, que é tóxica para cães e dependendo da quantidade pode matar (eu sei, você é nutricionista, e das boas) mas me deu uma urgência de te dizer isto. Se tem certeza de que pode, me avise que o meu bichinho também gostaria de encontrar um substituto para chocolate.

Neide Rigo disse...

Gilda,
esqueci de dizer, mas a vantagem dos nibs de cupuaçu é que praticamente não tem teobromina, sendo um bom substituto para quem tem intolerância. Ou para cachorrinhos como a Dendê - mas eu não deixei ela comer muito, não.
Obrigada pelo preocupação. Um beijo, N

Susana disse...

Olá Neide. Enfim consegui acessar. Fico feliz em saber que deu certo. Se o gosto assemelhar-se a aparência,deve ser incrível! Precisando de mais ingredientes sinta-se à vontade para pedir.Dou um jeito de enviá-los.Claro que não da forma calorosa como da última vez, mas bom, eles chegarão certinho também!rsrs. Bjos.

Isadora disse...

que incrivel esta receita! seu blog é um livro de aprendizagem de vida!!!

http://deliciasdaisa.blogspot.com.br/

Gilda disse...

Ai que alívio! Obrigada por responder tão depressa.

Neide Rigo disse...

Susana, obrigadíssima! O que seria de mim sem sua gentileza?

Obrigada, Isadora!

Um abraço, N

Paula Alvarez disse...

Hmmmmm que receita deliciosa hein?!!!
Caso eu ache o cupuaçu por aqui (SP)... farei com certeza!
Em casa todos irão gostar!!!

beijãozão*

Anônimo disse...

Essa Dendê tem a dona que todo animalzinho pediu a Deus! Abç
Izabel

Juliana disse...

o único problema das suas receitas é que às vezes a gente tem de se virar pra arrumar esses ingredientes...
e daí, aqui estou, sofrendo porque não vou pdoer comer isso tão cedo.
queee poxa.

uma graça a dendê...!

abração

ju

Neide Rigo disse...

Juliana,
é sempre assim, às vezes a gente ganha, outras vezes, perde. Desta vez a receita vai servir para quem tem cupuaçu aos montes.
Um abraço, N

marta.hoffmann disse...

Oi Neide,
Amo Dendêeeee!!!!!!desculpe,mas qdo.colocas foto dela,não consigo ler mais nada,tenho olhos só para ela!!!!

Maria Carolina disse...

Neide, é fácil tostar as sementes em casa? Sempre uso a polpa e jogo as sementes fora, por não saber como processar. O mesmo com as castanhas do caju, que uma vez deixei horas no forno e não virou algo comestível... tem manha pra isso?

Neide Rigo disse...

Marta, eu te entendo.

Maria Carolina, na cooperativa as sementes são despolpadas e depois fermentadas no período de sete dias, revirando-as de vez em quando. Elas vão ficar escuras. Depois passam por secagem ao sol por cerca de quatro dias ao sol. E ainda passam por um secador a lenha por um período de quinze horas. Em casa, não é tão fácil conseguir um bom resultado, mas pode tentar algo parecido. Quanto as castanhas de caju, são assadas no fogo e as cascas quebradas e descartadas uma a uma, no processo artesanal. Um abraço, N

Cristina Fortes disse...

Que vontade gigantesca de comer esse biscoito com amêndoas com cupuaçu, fiquei muito curiosa para experimentar essa receita diferente.
Beijos Cristina

comprar curtidas no instagram disse...

excelente post !!

likes instagram disse...


Muito top !