quinta-feira, 15 de março de 2012

Pão de forma de abóbora com mandioca. Ou quinta sem trigo 47

Como disse ontem, agora por aqui tudo leva abóbora e por isto aproveitei para fazer este pão, que a rigor não poderia ser chamado assim, mas por uma semelhança estilística, pela resistência suficiente para abrigar um recheio e pela possibilidade de iludir crianças e adultos que não podem comer trigo, vamos chamá-lo de pão. E não é só pra quem não pode comer trigo, pois acho gostoso o bastante para agradar qualquer pessoa que queira dar uma folga ao trigo e uma função nova para a mandioca - a de espessante. 


A massa é praticamente a mesma do bolo doce que já dei aqui, que foi nascendo a partir da torta de massa de mandioca que já dei acolá.  Descobri um equilíbrio entre abóbora, mandioca, ovos, gordura e farinha de mandioca que não mudo nunca. A abóbora pode ser substituída por cenoura - já dei também a receita deste bolo aqui. O que mudei agora foi o formato e o sabor, que virou salgado. Se não quiser fazer em forma de pão,  esta massa pode ser usada ainda para preparar aqueles bolos salgados chamados de torta de liquidificador. 




Pão de forma abóbora com mandioca 
5 ovos
1/2 xícara de azeite 
180 g de mandioca crua, sem casca, picada (cerca de 1 e 1/4 de xícara)
180 g de abóbora madura com casca, crua, picada (cerca de 1 e 1/2 xícara)
3 colheres (chá) de açúcar
1 colher (chá) de sal - sempre rasas as colheres
1 xícara de farinha de mandioca branca e fina (como mostro na foto dos ingredientes)
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 pitada de sementes de salsinha ou endro ou erva-doce ou alcaravia - opcional, para semear por cima 
Coloque no liquidificador os ovos e o óleo. Com o aparelho ligado vá juntando os legumes picados. Bata tudo até ficar um creme liso. Passe para uma tigela e junte os demais ingredientes. Misture bem até a massa ficar bem homogênea. Unte com óleo ou manteiga uma forma de bolo inglês (com cerca de 20 centímetros de comprimento). Polvilhe com farinha de mandioca. Despeje a massa, semeie as sementes e leve ao forno médio pré-aquecido. Deixe assar por cerca de 40 minutos ou até ficar com a superfície dourada e soltando das beiradas da forma. Espere esfriar para fatiar. 
Rende: cerca de 20 fatias

17 comentários:

Anônimo disse...

Qual seria a farinha de mandioca fininha? eu não conheço.Pode indicar algum lugar para comprar?
Gosto muito do seu blog, obrigada.
marli

Anônimo disse...

Deve ter ficado uma delícia?

Nhanduti de Atibaia disse...

Neide

Não posso deixar de te dar uma sugestão para as abóboras: Atum na Moranga. É análogo ao tal do camarão na moranga mas v. não vai acreditar como o atum se sai bem. E é o atum de lata mesmo... Quando me falaram eu não apostava um vintém. Hoje virei fã.
Um abraço

Neide Rigo disse...

Marli,
como esta que mostro nas fotos. Compro no mercado da Lapa, aqui em São Paulo.

Nhanduti,
poxa, atum? Nunca imaginei.

Um abraço, N

maria lucia disse...

Neide, eu queria fazer um bolo de fubá sem trigo. Pensei em experimentar polvilho doce que eu tenho aqui um pouco feito em casa :D
Nunca peguei a farinha de mandioca fininha que você diz, é parente do polvilho?
Obrigada! Adoro ler o seu blog. Descobri Piracaia e me apaixonei por lá pouco antes de você, moro em São Francisco Xavier há dois anos. Consegui deixar a Capital e fiquei muito contente. Felicidades.

Nhanduti, o seu nome é lindo!

Nhanduti de Atibaia disse...

Gente, eu até ia me me desculpar com a Neide por ter esquecido de assinar o comentário. Meu nome é Elizabeth.
Mas nhanduti é bonito mesmo. É guarani e quer dizer branco da aranha ou, mais prosaico, teia de aranha.
V. fez uma boa escolha, Maria Lucia. Como também estamos nas fraldas da Mantiqueira, quando estive em S. Francisco Xabier há algum tempo, em vez de ir pelo asfalto fui atravessando a Serra da Mantiqueira até o lado daí, que olha pro Vale do Paraíba.
Abs
Elizabeth

Neide Rigo disse...

Maria Lúcia, há um bolo de fubá sem trigo aqui: http://come-se.blogspot.com.br/2010/12/quinta-sem-trigo-6-bolo-de-natal-sem.html - fiz com fubá branco, mas pode ser com o amarelo e sem as frutas.
A farinha de mandioca fininha é baiana, facilmente encontrada nos mercados de lá e pouco comum por aqui - mo Mercado da Lapa sempre acho.
Se não encontrar, compre uma farinha bem branquinha e bata no liquidificador. O polvilho tem só o amido e a farinha tem a fibra também.

Beth, pra mim não precisa dizer, que eu sei o seu nome, mas também acho bonito Nhanduti!

Um abraço, N

maria lucia disse...

Obrigada, Neide, vou ver a farinha de mandioca fininha. O fubá também é caseiro hummm

Elizabeth, fui passear pelos seus linques e me apaixonei, até pus no facebook a loja da nove de julho.
Muito prazer!
Beijinhos, Malu

Anônimo disse...

Olá Neide,estou sempre por aqui,feliz por saber que a busca pela comida de verdade não é solitária!Por isso vai a pergunta,(não quero ser abusada, mas já pesquisei e não consegui achar nada...)CMC E GOMA XANTANA elementos aglutinantes que trazem a textura "comercial" aos alimentos sem gluten, faz parte daqueles componentes que deveríamos evitar consumir?
bjs
Tati

Neide Rigo disse...

Tati,
obrigada pela companhia. Quanto à carboximetilcelulose e goma xantana, acho que não são prejudiciais à saúde em pequena quantidade, mas não acho necessário quando temos tantos ingredientes e tantos preparos sem gluten no nosso repertório. E tudo o que tenha cara e nome de comida, de ingredientes que a gente conheça, melhor.
Um abraço, N

Claudia Costa disse...

Esse fermento utilizado é o normal para bolos?
Lindo blog viu? lindos textos, linda postura....
Um bjo,
Claudia

Neide Rigo disse...

Claudia, é fermento químico, destes para bolo. Obrigada, um abraço, N

iaci disse...

Oi Neide!
Fiquei encantada com o seu blog! Difundir receitas assim, que permitem às pessoas usar mais dos vegetais nativos da américa do sul, é um trabalho que ajuda muito na mudança de hábitos alimentares e resgate da cultura local, coisas muito importantes quando pensamos numa relação mais harmonica e sustentável com o meio em que vivemos!
Aproveito para tirar uma dúvida. Já fiz essa receita duas vezes (uma como bolo e outra como pão), e das duas vezes ficou solado. Você tem alguma ideia de o que posso ter feito errado? Estou usando uma farinha comprada em supermercado, que não é tão fina assim (tem uns farelos bem grossos até) - isso pode ter feito solar?
Beijos!
Iaci

Neide Rigo disse...

Iaci,
a farinha branca e fina que mostro na foto, comprada em mercados municipais, é muito diferente desta de supermercado que tem muito farelo e pouca goma. Então, se possível, tente encontrar esta farinha fininha.
Certamente é isto.
Um abraço, N

coletivo 308 disse...

Ola...agradeço a sua colaboração. Gosto muito do seu blog. Gostaria de saber se tirando o açucar da receita do Pão vai interferir no resultado final. Se sim, com que posso substituir?

Abreijo da Silvia Porto

Neide Rigo disse...

Silvia,
se tirar, vai perder sabor. Mas é tão pouco, por que tirar?
Pode usar mel, melado, açúcar mascavo etc. É importante também para o pão ficar mais corado.

Um abraço,n

Daniely Moreira disse...

Fiz e ficou uma delícia! Ótima para quem busca melhorar a qualidade da alimentação sem perder o prazer de comer!