segunda-feira, 12 de março de 2012

Uauá. Parte 5: Dieta da Joana na caatinga


Quer me ver morrer triste é dizer que enveneneram todos os quiabos do mundo, me disse Joana.  Mas por que a tristeza, Joana? Os quiabos não foram envenenados, não - alguns, sim, com agrotóxicos, mas não estes seus plantados aqui. A pois, respondeu ela, é como se fosse porque de todo jeito não posso comer. Como assim, Joana?  E ela me contou. 

Só então liguei os dois fatos que havia observado anteriormente.  Joana pedia pra alguém que ia ao mercado aproveitar para ver se tinha feijão mulatinho. Não, não tem. Outro ia e voltava, não, não tem feijão mulatinho, nem sabem que feijão é este.  Na hora estava ocupada com outra coisa e isto chegou de forma subliminar, mas ficou registrado:  feijão mulatinho pra lá, feijão mulatinho pra cá. Em outro momento, Joana foi à feira, fui com ela,  dizendo que iria comprar suas maçãs – olhei a caixa, vinham do Sul, de tão longe. Na banca, ficavam bem ao lado de lindas goiabas, tão cheirosas.  Seriguelas, maracujá-da-caatinga, melancias. Mas ela comprou maçãs e não pagou barato.  Sou muito palpiteira e curiosa, mas não perguntei o porque das "suas" maçãs. 

Estávamos em sua casa, na fazenda, quando  veio esta estória do quiabo e da consulta à nutricionista que consultou na cidade grande mais próxima, a 180 km dali, ainda caatinga. Pedi para ver os exames, com várias taxas alteradas,  e a recomendação nutricional. E aí sim entendi  a determinação de Joana apesar da inconformidade com as proibições.  Por que, meu Padim Cícero, por que não posso comer quiabo? E lá estava o papel, quatro páginas de dieta e orientações, com a resposta.  Mas se fosse só isto...  Ah, e por que tem que ser feijão mulatinho?  E também não encontrei atum sem ser com óleo. Comprei atum ao óleo mesmo, completou Joana. Tá difícil de seguir esta dieta, mas estou tentando, só não sei até quando. 

A dieta já começava recomendando leite de soja com manga no café da manhã e seguia com tudo aquilo que costumamos ver nas dietas de 1500 e 1800 calorias nas revista que pregam corpo perfeito:  linhaça, queijo branco, pão integral,  margarina light, filé de peixe ou peito de frango grelhado,  2 colheres  de alface, suco com adoçante, arroz integral, feijão mulatinho  ou grão de bico, lentilha e feijão branco.  No jantar, sanduíche de atum.  De sobremesa, uma fatia de laranja ou (tem sempre opções) gotas de limão.

No complemento, alimentos proibidos, a serem evitados, e os recomendados. Muito mais proibições, claro.  A começar pelos "causadores de gases por conterem muito enxofre, como quiabo, repolho, couve-flor, espinafre, ovo cozido, parmesão".  Você tem problemas com gases quando come quiabos, Joana? Eu não, e você, Neide? Mas se não pode repolho, como é que tem repolho refogado na dieta do almoço, Neide? Sei não, Joana, sei não!

Não pode ou recomenda-se não comer uma porção de coisa, até frutas ácidas como o umbu e o maracujá e ainda: vinagre, café, chá, nada. No final uma explicação que fica faltando para quem não entende o que são frutas ácidas, começando com um termo novo: “algumas vezes nos perguntamos o que são frutas cítricas. As frutas cítricas (citrinos) são as que pertencem ao gênero Citrus. Estas frutas são consideradas frutas ácidas, veja a lista com algumas delas: abacaxi, caju, tangerina, jabuticaba, laranja, limão, romã, nespera, ameixa, cidra, lima, marmelo, acerola.”   Para quem não sabe, o gênero Citrus engloba as frutas de gomos como a laranja, limão, cidras, mexericas etc. As outras frutas citadas,  de gêneros diversos, podem ser ácidas, mas não Citrus.  Mas por que não posso comer umbu, maracujá da caatinga, se é o que tem por aqui?, queria saber Joana.  E além disso não entendi nada desta coisa de fruta ácida e fruta cítrica. Se quem escreveu não sabe diferenciar frutas ácidas das frutas cítricas, Joana vai saber?  E por que? Vem cá que eu te explico, Joana.  Mas pode comer, sim.

A lista proíbe as frutas ácidas, mas recomenda alimentos ricos em fibras, como granola, aveia, barra de cereais!  Bode pode não, melhor preferir salmão, robalo, merluza e bacalhau.  Não fala nada do queijo de leite de cabra, não, mas é melhor preferir minas frescal, ricota e queijo cottage, isto está lá. 

Joana, a nutricionista quis ouvir o que você come cotidianamente ou tem ao seu dispor aqui na caatinga, a forma como você cozinha, as frutas que tem na sua feira ou os legumes que você encontra nesta época de seca?  Quis não.  Pediu para você voltar para lhe dar uma dieta de acordo com os seus gostos, corrigindo seus erros, adaptada ao seu ambiente? Pediu não. Explicou a importância da quantidade dos carboidratos consumidos para o controle da glicemia? Não. Explicou o que estava no papel ou só tirou a papelada pronta da gaveta e lhe entregou?  Tirou da gaveta. Ah, tá! 

Joana adora comer um docinho, uma raspa de manuê da panela, compota de umbu e só um cafezinho bem doce pela manhã, mas adora também feijão de corda e feijão de caldo comum  -  nem sabe que raio é este de mulatinho), quiabo, abóbora, repolho, salada, arroz integral, umbu, maracujá-da-caatinga, melancia, peixe cozido, laranja. Come pouca carne vermelha, em vez de pão come cuscuz e inhame no café da manhã, não liga pra queijo ou pra leite, não bebe álcool nem refrigerante,  não fuma e sedentarismo passa bem longe da sua casa na caatinga. Está com peso dentro da média e taxas um pouco mais altas que o recomendado - de colesterol, triglicérides e glicemia. 

É tão difícil resolver?  Ou nutrição agora é isto, um tanto-faz, um descaso pela Joana, uma escada pra lugar nenhum, e não me contaram? Felizmente isto não é regra, a julgar pelo que vejo nos nutricionistas leitores do Come-se. Mas fica o recado: conheça quem é a Joana que você atende, saiba onde ela vive, limpe bem os pés antes de entrar em sua casa, e ouça o que  ela tem a lhe ensinar. 



17 comentários:

Anônimo disse...

Lavou minha alma. Ir ao médico hoje é mais ou menos isso ai, Seja a especialidade que for, esteja preparado para um papel que sai da gaveta sem muito compromisso com o paciente.

Muito obrigado por este post. Certamente o pessoal do interior é mais sabido que a tal médica.

Maria das Graças disse...

A coisa é séria mas não pude conter uma boa risada. Sim, porque só rindo mesmo de uma situação como essa. E, no fim, lamentar o despreparo e a falta de conexão dessa profissional com a realidade cultural e regional do sua paciente. Desolador!

Fábio Metello disse...

Já acho que algumas faculdades tem vínculos com a indústria farmacêutica e de alimentos e daí saem "profissionais" ou vendedores de seus produtos...
para quem gosta de leitura recomendo;
o livro "CEM ANOS DE MENTIRA" aborda o lado sombrio destas indústrias..
abs

Gilda disse...

Tomara que o puxão de orelha desperte não só nutricionistas só no diploma, mas também todo tipo de médico que sai inventando proibições e recomendações sem nem pelo menos conhecer direito o alimento de que estão falando. Sem dó, deixam o paciente pensando que ele só não proibiu comer capim. E na lista dos recomendados só itens que não cabem no orçamento.

Dricka disse...

Eu, Sua fã forever. Seria lindo Neide, se todos os profissionais tivessem esse seu profissionalismo.O pior é que vai se criando uma nação doente com tantos falsos produtos saudaveis que pipocam por ai. Cada organismo é um e cada um reage de um jeito,porem sempre é tão mais facil criar um padrão de diagnostico e tratamento...
Bjs

Beth disse...

Ai meu Deus! Essa nossa profissão tá de chorar.....Eu sei que não é a única com esse tipo de problema, mas dói muito saber de histórias como essa....

angela disse...

E você deu outra lista para ela?Comigo foi parecido, acho que te contei. Eu estava com pra lá de 300 em tudo, procurei nutricionistas e avisei onde eu morava, não existe Mundo Verde aqui, odeio tofu e soja , caso eu encontre, me dá gases. Pois veio a lista só com soja! Aí eu fiz a minha dieta, claro, baixei tudo. Não consegui tirar nota dez no colesterol, mas quase isso. Agora tomo remédio e sou feliz.

Neide Rigo disse...

Angela, eu não dei nova lista, mas expliquei o que podia ser flexibilizado, adaptado à realidade dela. Uma pena, né?

Um abraço,
N

Anônimo disse...

Puxa, Neide! estou um pouco acima do peso mas somente faço uma dieta no dia em que encontrar uma nutricionista que não me receite adoçante marca x, barrinha de cereal marca y e até suco marca z. Que sorte da Joana ter lhe conhecido pessoalmente. Bjs. Izabel

Margot Carone disse...

Sábias palavras, Neide! Esse tipo de nutricionista que segue o manual de faculdade, dietas de minuto e nao tem conexao com a realidade cultural dos pacientes, me dá uma preguica e vergonha...Sorte da Dona Joana ter voce por perto.

Priya - Paula Magnus disse...

Nossa, Neide, estou lendo toda a série em uma sentada. Não sei se é a chuva lá fora, mas este post me vez chorar, fiquei triste. É um daqueles textos que devem ser amplamente replicados. Afinal, o que é saúde?! A felicidade de ver movimentos tão integrados acaba se contrapondo com a distância padrão dos dias hoje - distância da realidade da Joana. É como a nutricionista de um refeitório que proibiu o leite da nossa vaca (que é 100% orgânico, de pasto, fresco e local - além de tirado manualmente pelo meu marido) preferindo o leite de caixinha para o iogurte das crianças. Foi um árduo trabalho para provarmos que nosso leite tem boas condições de higiene. O esforço acaba sendo de que está integrado, pois parece ser a atual contramão...
Mais uma vez, muito obrigada pelos textos!

Lígia disse...

Como nutricionista fico muito envergonhada de uma colega de profissão que atenda seus pacientes desta forma! Acredito que a alimentação tem que ser o mais natural possível, mesmo pq produtos industrializados a cada dia que passam ficam pior! A industria vem colocando: conservante, corantes ... ante e mais antes que ninguém sabe o que isso causa na saúde. Saúde??? Ele querem mesmo é saber de doença, pois é o que dar dinheiro! Eu Nutricionista Funcional indico alimentação assim como a de Dona Joana! Quanto mais natural MELHOR!

Precisamos a voltar a comer como nossos avôs!

Meu contato ligianutrifuncional@gmail.com

Ana disse...

Às vezes vejo o Come-se e tenho vontade de chorar....

Anônimo disse...

Nossa Lígia, precisa mesmo de autopromoção em blog alheio? Que deselegante...

Vane disse...

Nossa Neide, levei as mãos à cabeça. No Brasil estão receitando soja a torto e a direito, será que não se dão conta do mal que pode fazer a soja crua? Será que lavaram o cérebro de todo mundo?

Claro, se no final você não consegue melhorar seus exames a culpa é sua por não ter comido tofu...

Outra coisa, temos que parar de pensar que o colesterol é o demônio: http://primalbrasil.wordpress.com/2011/09/08/o-mito-do-colesterol/

Nutri Rafaela G.Bellei disse...

Neide eu sou nutricionista e adoro seu trabalho. Desta vez me obriguei a comentar tamanha falta de profissionalismo de certas colegas. A gente passa a faculdade toda aprendendo que a nutrição é uma ciência que trata do índividuo com ser único, e por ser um SER único tem as suas individuais necessidades. Fico triste demais quando leio algo desse tipo. Preferia acreditar que quem dá dieta de gaveta são os médicos endocrinogistas e não NUTRICIONISTAS. Abraço

Nutri Rafaela G.Bellei disse...

Neide eu sou nutricionista e adoro seu trabalho. Desta vez me obriguei a comentar tamanha falta de profissionalismo de certas colegas. A gente passa a faculdade toda aprendendo que a nutrição é uma ciência que trata do índividuo com ser único, e por ser um SER único tem as suas individuais necessidades. Fico triste demais quando leio algo desse tipo. Preferia acreditar que quem dá dieta de gaveta são os médicos endocrinogistas e não NUTRICIONISTAS. Abraço