quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Brotos na garrafa de coca-cola

Para um trabalho de pesquisa comprei uma garrafa de coca cola light plus (super, mega, hiper... que mais?) e, antes de aproveitar seu conteúdo para limpar o ralo da pia, enchi um copo para mim e outro para minha amiga Silvinha que, como eu, não costuma tomar refrigerantes. Eu até que acho coca-cola normal gostosa, mas não tomo. Achamos este light plus muito doce e enjoativa, me atrapalhou o jantar e fiquei sentindo um retrogosto persistente.

Se tem uma coisa que faço muito bem é dormir. Não consigo ler uma página de livro, pego rápido no sono e não acordo por nada deste mundo antes do meu horário natural, que é por volta das 7 horas (às seis me levanto porque o Marcos me chama e eu gosto de tomar café com ele). Mas naquela noite fiquei rolando na cama, com o coração palpitante. Depois de um tempão rolando na cama, consegui dormir um pouco e acordei depois de meia hora. Dormi mais uma meia hora e acordei de novo. O sono não vinha. E assim foi a noite inteira, mais acordada que dormindo.

Pela manhã, perguntei à minha amiga Silvinha se tinha dormido bem e fiquei sabendo que não, que tinha sido como eu. Como nunca tomamos coca-cola, a relação foi imediata. A propaganda do produto, que vi no cinema antes do filme,  mostra uma mulher ativa, que trabalha o dia inteiro e ainda consegue dar show na balada à noite. Imagino que tenha mais cafeína que as outras, não sei.  Poderia testar com outros tipos em nome da ciência, mas quem merece uma insônia daquelas? Tô fora. Para hidratar, melhor água e frutas, que eu adoro.

O engraçado é que agora nem mais podemos dizer que se trata de "caloria vazia", afinal esta coca-cola não só é vazia de caloria como ainda traz um menu de vitaminas (é como você tomar refrigerante e uns comprimidos de complemento nutricional). E, como é o caso do sucrilhos e de tantos outros alimentos vitaminados, das duas, uma:  ou você se entope de vitaminas arcando com os prejuízos da superexposição ou você está pagando por um complemento que vai todo para o ralo. Eu tenho mais medo do primeiro caso, mas o segundo é também um crime contra a economia popular pois está pagando por algo que não aproveita.  E ainda tem a questão de ser muito doce. Tanto faz com açúcar ou adoçante, o excesso de doçura faz com que nosso paladar seja forjado a achar que um suco de laranja mereça uma colherada de açúcar (pode reparar nas lanchonetes). E o fato de ser adoçante, tanto pior, afinal ninguém pensa quando está tomando um refrigerante em somar tudo o que consome com adoçante ao longo do dia para saber se está ainda dentro da faixa segura de consumo. E ao longo dos anos? Lembremos que ainda não houve tempo para estudos de longo prazo. Pode ser tarde demais quando se conseguir provar os malefícios mesmo nas quantidades ditas seguras de  adoçantes e outros antes, especialmente para as crianças e adolescentes que começam a ter acesso a tudo isto tão precocemente. Antes, prefiro evitar.

Aproveitei a garrafa para produzir brotos. Foi só furar para escorrer a água. O resto é igual ao que mostro aqui.  

Um pouco dos brotos usei para refogar em alho e juntar a uns pedacinhos de carne de porco que sobrou do almoço. Juntei ainda a sobra de arroz e fiz um prato único.


11 comentários:

Anônimo disse...

Cara Neide,
Prá mim, o uso de adoçante artificial tem uma função mais de aplacar a consciência do consumidor do que controlar a ingestão de calorias. Todo dia vejo vários colegas de trabalho ingerirem calorias vazias, comida pesada, gordurosa, muito doce, (verduras, legumes e frutas riscados do cardápio) no café da manhã e almoço (duvido que no jantar seja diferente), e depois, quando vão tomar um café, adoçam com adoçante.
Ou tomam cocacola zero prá empurrar um balde de arroz branco, feijão e linguiça prá dentro...

Abraço,

Mariano

Cela disse...

Eu vi um site esses dias com 50 antigos cartazes de Coca-Cola, que existe desde antes de 1900. Eles sempre diziam que é refrescante e saudável nos mais antigos! :P

Gilda disse...

Ainda bem que ninguém precisa tomar refrigerante para produzir brotos rsrsrs! Mas aqui em casa, quando sobra uma garrafa destas (de visitas que gostam) é o brinquedo preferido do meu cachorro. E é só para isto mesmo que serve o tal do refri.

Claudia disse...

Adoro passar por aqui, sempre dicas maravilhosas...abrs
http://claudiaroma.blogspot.com

André Coelho disse...

Neide, eu amo seu blog.

Cê faz meu vício por comida aumentar! Cê explora o assunto de longe da gastrochatisse. Seus posts são instigantes! Obrigado por isto.

A minha vida agora pode ser dividida em duas etapas: antes e depois de produzir meus próprios brotos. Cê não sabe quanto eu amo brotos. No restaurante taiwanês daqui de BH, eu aproveito pra encher o prato com todos os representantes.

Grande abraço.

angela disse...

Não tenho conseguido fazer brotar sementes de girassol, dessas para papagaio. brotos de quê? Um dia desses, vendo tantas utilidades dessas garrafas pet lembrei-me de um dos filmes mais divertidos que já vi, "os deuses devem estar loucos" que começa exatamente numa pacata tribo e um aviaozinho deixa cair uma garrafa de vidro de coca. Pensaram logo ser um presente dos deuses, já que veio do céu . Aí começa o uso da coisa: pegar água, soprar pra fazer apito, usar como rolo de amassar, fazer bonitos círculos com sua boca e tinta, martelo.. e a garrafa ficou a coisa mais importante do mundo, até que virou arma, pois um deu uma garrafada na cabeça dooutro, e eles nunca tinham brigado por nada.. então, vão devolver o "presente" aos deuses. E aí começa o filme , continua sendo bom, mas o inicio é campeão. HOje é isso, tudo se faz com as garrafas Pet.

Jussara disse...

Excelente, Neide!
Quando essa coca-cola foi lançada comentei com uma amiga que se a gente quiser tomar alguma vitamina, é só tomar um suco, por exemplo; que isso de terem adicionado vitamina ao refrigerante é uma espécie de propaganda enganosa. Afinal, com tanto adoçante, corante e conservante, se existir mesmo uma vitamina será que ela consegue "sobreviver" nesse meio? É como vc disse: paga-se por algo que não se aproveita.

Nunca tomei coca-cola light, mas como tb não sou de tomar refrigerante, reparei que nas últimas vezes em que tomei coca-cola (normal) à noite, tive dificuldade pra dormir.

Ótimo fim que vc deu à garrafa.

Abraços.

PS: não conhecia a propaganda e fui ver no youtube. Nossa, ridícula. Mas acho que mais ridículo é quem acreditar nas mentiras que ela diz: "um jeito delicioso de tomar vitaminas e minerais."

*achei lindo quando li "às seis me levanto porque o Marcos me chama e eu gosto de tomar café com ele."

Anônimo disse...

Neide, pior do que o adoçante usado, a questão das calorias vazias e 'otras cositas más', é o teor de sódio absurdo que esses refrigerantes ditos 'lights' contêm...A pessoa que não pode consumir açúcar, por exemplo, pode agravar ou até mesmo criar um problema relacionado ao uso excessivo de sódio.

Thais disse...

Olá Neide!
Seu blog é um vício e o acompanho quase que diariamente!
Assim que vi mais esse post sobre brotos não resisti e coloquei meus feijões para germinar. Hoje já os comi no jantar e estavam uma delícia! Mas fiquei com uma dúvida: você come as cascas também? Eu acabei comendo alguns, mas gostei mais deles sem a casca.
Abraços, Thaís

Bruna Buesso disse...

Oi Neide!

Gostei muito da opção de fazer brotinhos na garrafa pet, mas não entendi muito bem o sistema.
É só colocar as sementes e colocar e tirar água sempre? Não precisa fazer nenhum furo na garrafa? Obrigada!

Neide Rigo disse...

Bruna, não precisa furo, não. É só ir umedecendo os brotos.
N