quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Bolo em camadas de tapioca e goiabada. Ou quinta sem trigo 29

Hoje estava vendo o  caderno Paladar (falo dele daqui a pouco) e bati os olhos num bolinho com goiabada (bolo sem rolo, como foi chamado) que o chef Rodrigo Oliveira fez para o encontro Paladar - Sabor do Brasil. Fiquei só na vontade, já que não pude ver a aula dele com a Ana Rita Suassuna. Será que dá certo com tapioca?, pensei.  Tinha ainda um pedaço daquela goiabada cascão que veio do Box do Luiz, de Uberlândia, presente da Kris Nardini, umas castanhas-do-Brasil (da Amazônia, do Pará) que trouxe do Acre e  polvilho doce, que por aqui nunca falta. Fiz as tapiocas com castanhas, cortei em rodelas, umedeci com leite de castanha, recheei com a goiabada diluída e nhac!  De tão fácil, nem precisaria de receita, mas como anotei tudo, aqui está:



Bolinho em camadas de tapioca e goiabada 

Para as tapiocas com castanha
300 g de polvilho doce (fécula de mandioca)
Cerca de 150 ml de água
1 pitada de sal
10 castanhas-do-Brasil raladas

Para o recheio
100 g de goiabada pícada e dissolvida no fogo com 1 xícara de água até ficar cremosa, com consistência de geleia
10 castanhas batidas no liquidificador com 100 ml de água quente. Não precisa coar.

Misture o polvilho com a  água, aos poucos, até formar uma farofa úmida que não derrete (se o polvilho está molhado demais ele começa a ficar com aspecto de queijo derretido - se isto acontecer, junte um pouco mais de polvilho). Se preferir, faça a massa como mostro aqui.  Faça tapiocas finas, corte se quiser menor, umedeça e recheie.

Montagem: não precisa cortar as tapiocas, mas se quiser que fique com bordas mais regulares, marque com um  prato ou aro de metal e corte por fora com faca bem afiada. Umedeça cada camada com 2 ou 3 colheres (sopa) de leite de castanha (se não tiver, use leite de coco), cubra com  uma colherada de goiabada e repita o procedimento até acabar.  Decore com goiabada e lascas de castanha. Espere esfriar na geladeira e corte em fatias finas com uma faca bem afiada. Sirva na folha de bananeira  - é para comer de bocado e não de garfo e faca.  O que sobrou da massa cortada cortei em pedaços e levei ao forno. Viraram beijus crocantes.   Rende: 10 fatias finas

6 comentários:

Dri Haddad disse...

Ei!!!! esse poderia ir lá para meu blog de bolos,nao poderia? Ficou lindo! Adorei, Neide! Adri

Bruna do Gourmandisme disse...

Participei da aula do Rodrigo Oliveira e tmb fiquei com vontade do bolo sem rolo, era bom demais!!! Anotei sua receita, bem boa para matar a vontade! beijos

Valentina disse...

Neie, absolutamente show. nao digo mais nada. So fico aqui na vontade.

Mariangela disse...

que incrível Neide, mistura perfeita,tu sabes que eu sou louca por tapioca,aliás,vou ter que procurar por aqui.A cara do Brasil!!

ailde andrade disse...

adorei o bolo de tapioca, vou fazer e vou dar para os meus alunos degustar. sou sergipana e fui criada comendo tapioca, hoje moro em são paulo... dou aula de gastronomia e montamos um blog... espaço gourmet ailde dar uma olhada ...... adorei sempre falo que difícil e fazer o simples com muyito bom gosto

Flavia disse...

nossa senhora da frigideira milagrosa!!!! isso deve ser um espetáculo!