quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Ervas na água





Como disse a Fernanda outro dia no Chucrute, várias ervas podem ser conservadas na água. Muitas delas se dão melhor quando guardadas na geladeira, soltas, limpas e fechadas - como se estivessem numa estufinha (já dei aqui a dica do guarda-temperos improvisado). É o caso das salsinhas, coentros, cerefólios, endro e outras da família das Umbelíferas.
Já as ervas da família Lamiaceae - alecrim, salvia, tomilho, orégano, hortelã, manjericão, lavanda -, se dão bem na água e podem ser deixadas assim por vários dias, até que enraizem. Enquanto isto você poderá ir usando as folhinhas até que decida replantar no jardim (embora eu ainda ache que o melhor método de se fazer mudas destas ervas seja o da estufa improvisada (já mostrei também aqui e acolá).
Algumas ervas enraizam mais rapidamente que outras, como é o caso do manjericão. Em 4, 5 dias já começam a lançar raízes. Já a hortelã demora um pouco mais, enquanto o tomilho, o orégano, o alecrim e a sálvia demoram ainda mais. Fora desta família, outra que se dá melhor que todas com o pé na água é o jambu (ou agrião-do-pará) que naturalmente prefere solos bem úmidos). Ele pode permanecer na água durante meses, sem que as folhas sofram. Chega a lançar novas folhas e florecer.
O crisântemo comestível ou shingiku, que comprei na feira da Água Branca (falo dele depois), também é de outra família, não lança raízes, mas dura também vários dias. Escolhi uns galhos com botão e deixei na água. Os botões estão abrindo aos poucos, mas a erva já tem 10 dias e continua firme.
Importante: não basta chegar da feira, meter as ervas na água e esquecer. Tem que cortar as pontas dos talinhos que podem estar desidratados e assim a planta terá dificuldade para absorver a água. Outra coisa que se deve fazer é liberar a parte do talo que vai ficar mergulhada na água, tirando um pouco das folhas para que elas não apodreçam encharcadas. Não se deve deixar as ervas muito espremidas e, se o tempo estiver muito seco, é importante pulverizar água nas folhas. Ao longo dos dias um ou outro galho certamente vai murchar. Se for o vaso todo, pode ser que precise pulverizar mais água. Mas se for apenas um galhinho ou outro, veja se a pontinha em contato com a água não está apodrecida. Se tiver, tente cortá-la fora e veja como reaje. Se ainda assim continuar murcho, jogue fora. Todos os dias é importante tirar as folhas mortas e trocar a água. Parece trabalhoso, mas vale a pena ter estas ervinhas por perto e enfeitando a cozinha.

15 comentários:

Tá Bem Bom disse...

Olá Neide
Outro dia coloquei no vaso com agua um maço de catalonia de broto, alem de lindo durou 3 dias perfeitamente acho que até duraria mais, porem tive de come-la. inté.

Anônimo disse...

Oi Neide,
muito bom o seu post, aliás, eu adoro o seu blog, já aprendi tanta coisa aqui... Apenas uma dúvida: apenas a troca diária da água é suficiente pra evitar a proliferação de bichinhos?

beijo,
Adriana Ramos

Anônimo disse...

Olá Neide,
Neste momento tenho na água 2 raminhos de manjericão miúdo, que sobraram de maço comprado no mercado. Faz quase 1 mês e eles até já lançaram folhinhas novas, mas apenas 1 deles está bem enraizado...
Já tentei com hortelã e não deu certo, mas agora vendo suas recomendações acho que o meu estava muito apertado no vaso...
bjs,
marlene

Neide Rigo disse...

Leo! Que bom te ver por aqui. Todas estas plantas da família das chicórias, se estiverem com a raíz, também duram muitos dias.

Adriana, eu troco a água e lavo as raízes. Junta larvas, não.

Marlene, hortelã é chatinha. As folhas desidratam muito facilmente. Às vezes convém até mergulhar a planta toda na água por uns 10 minutos para reidratar as folhas. E deixar sem apertos.

Um abraço, N

thiago dos santos disse...

OLA SEU BLOG ERA TUDO QUE EU PROCURAVA,,,...MEUS PARABÉNS ME CHAMO THIAGO SOU DE SP TENHO 24 ANOS E AMO COMER....KKK...ENFIM GASTRONOMIA PARA MIM É TUDO DESDE JA ESPERO SERMOS BONS AMIGOS,... POSTAREI SEMPRE Q POSSÍVEL OBRIGADO BJAUM MEU EMAIL PARA CONTATOS É O PLAZU44@HOTMAIL.COM BJUSSS E VAMOS COMER...XAU

Cláudia disse...

Super legal ...a gente sabe e às vezes esquece! bjs

Silvia - BH disse...

Neide,
Que bom que deu os detalhes, espaço, umidade, controle da ponta das raízes. A hortelã é mesmo a mais difícil, não tive a ideia de molhar suas folhas. Valeu!

Anônimo disse...

Neide, bonitas fotos das plantinhas. Você mencionou que reformaria a cozinha. Ficou pronta?
Então... poste umas fotinhos, seus apetrechos e enfeites, pra dar cara e cor às receitas, orientações e dicas dos post que publica, que já fazem parte da minha biblioteca culinária.
Abs
Ana Maria - Araçariguama

Anônimo disse...

Neide, meu nome é Ana Carolina e leio sempre o seu blog, sempre tem coisas muito interessantes!
Queria faz tempo um manjericão mas meu apartamento não tem espaço, mas seguirei a dica de colocá-lo em pote com água e testarei outras temperos!
Você tem alguma sugestão para conservar alface, couve e essas folhas mais sensíveis?
Obrigada!

Anônimo disse...

Oi, Neide ! Uma coisa que gosto muito de fazer é colocar alguns galhinhos de hortelã numa garrafa com água na geladeira...o frescor e o aroma da água dão muito prazer...e quando a água vai acabando eu completo algumas vezes...um abraço com carinho, Neyde xará

a.luz disse...

Adorei o post!!!
Não vejo a hora de criar essa "horta aquática"!!!rs

Beijokas!

Ana Luz
www.artedetemperar.blogspot.com

Marco Gomes disse...

Olá Neide,


Há tempos venho ensaiando o post de um comentário para dizer o quão maravilhoso é o seu blog.
Desde que o descobri já fiz tantas leituras, consegui informações interessantíssimas e aprendi outras tantas.

Parabéns pela iniciativa e dedicação sobre cada assunto em pauta.

clau disse...

Eu faço sempre isto, Neide.
mas comigo o risco é que em vez delas terminarem na panela, terminem em vasos varios no meu terraço...rss
Até uma bela arvorezinha de louro eu ja tenho ali, ha alguns anos.
E esvariados tipos de mentas, tb.
Enfim...
Bjs!

Brígida disse...

Neide,

Eu fiz isto com pão e broa, e fica uma delícia, muito saboroso. No lugar da água, coloque soro de kefir, e omita o fermento de pão. Faça tudo normalmente e deixe crescer por 24 horas, ao invés do tempo normal. O pão de soro de kefir é maravilhoso, e bem mais leve que de fermento comprado, eu faço ele 100% integral e não fica pesado, o mesmo com as broas, muito bom!

Valéria Garcia disse...

Estou tão feliz por ter encontrado essa publicação! A partir de hoje vou transformar um hábito cortar as pontinhas e colocar as ervas em água :-)

Muito obrigada!

Beijocas,
Valéria Garcia