terça-feira, 6 de julho de 2010

Mentruz rasteiro na sopa de fubá




Há dias que vinha cultivando com os olhos um jardinzinho de mentruz rasteiro (Coronopus didymus) que verdejava sozinho e escondido das gentes e dos cachorros. Mas ontem vinha também de calçada em calçada um jardineiro com suas ferramentas dispostas a não deixar mentruz ou carurus sobre gramas e então decidi fazer minha colheita precoce antes que ele o fizesse - deixaria mais alguns dias, para o sabor amostardado ficar mais marcante, mas assim, fresquinha, também aquece. A erva é da mesma família das couves e mostardas e tem um sabor picante adorável. Já falei deste mentruz aqui e da erva-de-santa-maria aqui.

Fiz uma sopa de fubá à moda daquela que minha mãe sempre fazia com um ovo inteiro para cada um, colocado no final, e alguma verdura, como couve ou mostarda.


Sopa de fubá com mentruz
30 g de bacon, se quiser
2 dentes de alho picados
1 colher (sopa) de azeite
1 litro de caldo de galinha caseiro
1/2 xícara de sêmola de milho misturada com 1 xícara de água (fubá comum também serve)
Sal a gosto
1/2 xícara de folhas de mentruz rasteiro refogada rapidamente em azeite (ou sobras de mostarda refogada ou de couve)
3 ovos caipiras
Pimenta-do-reino para finalizar, se quiser
Se for usar o bacon, pique finamente e coloque numa panela junto com o alho para fritar no azeite até dourar. Junte o caldo e deixe ferver. Adicione, então, a sêmola e mexa até engrossar. Junte sal, se o seu caldo não for salgado. Abaixe o fogo, tampe a panela e deixe cozinhar por meia hora. Junte as folhas previamente refogadas e quebre os ovos separados e deixe cozinhar por 2 minutos ou menos se quiser a gema bem mole. Sirva polvilhada com pimenta-do-reino.
Rende: 3 porções

Nesta versão de sopa de fubá, juntei mostarda refogada que tinha sobrado do almoço, bem como um pouco de broto de ervilha que refoguei depois de ter dourado o alho e o bacon.

Ao pão quentinho que saiu há pouco do forno, juntei manteiga e mentruz. Só provando pra saber como é bom! Pode ser com azeite e sal também.

12 comentários:

Suzi disse...

Adorei a idéia. Vou variar o verde pque nao tenho mentruz, e depois te conto como ficou!
beijos!

Nina disse...

Ai,esse pão, que delícia!

Tenho que te contar que fui ao casamento no Kitanda, em Gonçalves. Foi uma festa lindaaa, emocionante. E o cardápio, não dá pra escolher o que estava mais gostoso... Sem falar na simpatia, alegria e talento da Tanea e sua equipe. Minha menina (e eu!) gostou tanto, que voltamos para almoçar no dia seguinte o menu, que estava, claro, maravilhoso.
O Kitanda já entrou na minha lista de melhores lugares do mundo!

beijo

Claudia disse...

Neide,

Primeira coisa que me veio a cabeça, claro, foi a bebida mastruz com leite já que minha avó maranhense sempre se referiu como remédio e fui ver tua postagem de 2009 e conferi que mentruz é o mesmo que mastruz da minha avó.

Interessante ver o uso do menstruz/ mastruz na sopa, adorei o visual da sopa e fiquei curiosa com o fato do sabor parecer com mostarda, adoro mostarda em folha.

Bj,

C.

Neide Rigo disse...

Suzi, acho que vai gostar.

Nina, fiquei morrendo de inveja, porque não conheço até hoje o restaurante da Tanea.

Claudia, mentruz, mastruz, mastruço, tanto faz. O mais comum de se bater com leite é o mentruz arbustivo, a erva-de-santa-maria ou epazote dos mexicanos.

Um abraço, N

Wservir disse...

Boa tarde,

O seu blog / Site chamou a atenção dos nossos colaboradores pela qualidade das suas receitas.

Ficaríamos muito gratos se você regista-se o seu site / blog no Petitchef.com.

Ptitchef é um diretório com as melhores referências de sites de cozinha na web. Centenas de blogs espalhados pelo mundo já estão registados, aproveite para conhecer o site Ptitchef.(www.ptitchef.com ou http://pt.petitchef.com)

Neste momento contamos com mais de 150 000 visitantes por dia e enviamos mais de 200 000 emails com o menu do dia, se adicionar o seu site / blog e colocar a nossa TAG no seu site poderá receber milhares de visitantes, esperamos a sua inscrição.

Para se inscrever no Petitchef clique aquí http://pt.petitchef.com/?obj=front&action=site_ajout_form ou no link http://pt.petitchef.com e clique em "Adicionar o seu blog-site" sobre a barra laranja.


Visite também o novo site ligado ás artes: http://pt.creatiblogs.com

Se já se encontra registado no Petitchef, agradecemos a sua participação e pedimos-lhe o favor de nos ajudar a divulgar este site pelos seus amigos.


Atentamente,

Octávio
Ptitchef.com

Nina disse...

Ai, Neide!

Não conhece? Corre lá! Fiz um post no meu blog sobre o fim de semana, cheio de links (tem um pra cá também), passa lá que você não vai resistir e vai correr pra Gonçalves!

beijo

david era uma vez... disse...

Olha só!!
Nunca soube que mentruz fosse boa de cozinha!
Pra mim mentruz era um vermifugo.... Mas ja vou catar uns galhinhos aqui na região!

Fessôra, aprendo sempre com vc!

Abraços

Anônimo disse...

Neide,aqui em casa não tem mentruz nem ovo caipira,mas farei a sopa com couve e ovo de granja mesmo.
Sem essa sopa é que eu não fico.
Parabéns, lindona, quanta criatividade nesta cozinha!!!
Mil beijos!!!!

Anônimo disse...

Meu pai, sírio de origem, adorava misturar mentruz, manteiga e azeitonas pretas para comer no pão..

rosamaria disse...

aaaaaaiii, q sopa MARAVILHOSA! a visão desse ovo com a gema mole até me acendeu o apetite!aqui choveu e caiu a temperatura...bem propicio p um fim de domingo...hummmm...mas vou colocar folhinhas de agrião, é o q tenho na geladeira.
bjk, obrigada pela idéia!

Anônimo disse...

Boa tarde,
Primeiramente gostaria de parabenizá-los pelo conteúdo do blog e lhes dizer que estou produzindo um guia de plantas medicinais e gostaria de pedir sua autorização para utilizar algumas das imagens em minha publicação. As imagens pelas quais me interesso são as do mentruz. Os créditos serão devidamente publicados dentro do projeto. Por gentileza encaminhe uma resposta para o e-mail:paula@2deditora.com.br

Obrigada
Paula Zanforlin

Anônimo disse...

Quando eu era criança, no meu quintal tinha muito mentruz,comíamos direto da horta,juntamente com beldroega e caruru. Agora,já idosa, tenho em uma floreira na janela de minha lavanderia,no 7º andar,hoje comi misturado com alface e cebola, tenho também no álcool,é bom para passar nas dores,com sal é bom para luxação.Cultive em um vaso, é fácil e gostoso. Júlia Jacira Angelotti.