segunda-feira, 5 de julho de 2010

Feijões na janela








Sei que olhando de baixo não se vê uma floreira que enfeita e emoldura a janela com graça colorida. E que para sentir a cor, é preciso enxergar em raio-x através da vagem caixinha-de-marfim. E descobrir pequenas pedrinhas de joia em vermelho-estriado com olho branco, que secas barulham como chocalho. Ainda assim vale a pena.
As cinco sementes de favas roxinhas (Phaseolus lunatus) plantei há pouco, depois de definharem as tagetes da jardineira, que também têm seu tempo. Logo vieram as flores efêmeras que num instante viraram vagens que cresceram a uma velocidade espantosa (sei lá, acho que não fazem 60 dias que plantei). Neste fim de semana, com folhas amareladas e vagens secas, foi hora da colheita.
Colhi uns 200 gramas que vão virar sopa, um tanto. Outro, volta pra terra. E aproveitamos o sol da manhã de sábado para nos sentarmos, Marcos e eu, no quintal e debulhar os feijões entre entulhos e bagulhos da reforma. Foi prazeroso.
Mais que uma opção econômica ou estética, plantar em jardineiras ou em qualquer pedacinho de terra pode funcionar talvez como uma atitude pedagógica, especialmente para crianças que podem plantar, colher, debulhar e comer o próprio feijão - que dá em qualquer lugar e em pouco tempo.

14 comentários:

Eliane disse...

Neide venho muito aqui, leio tudo que vc escreve com maior prazer. Parece que estou ouvindo minha mãe e minha avó quando vc escreve. Por conta de seu Blog achei o pessoal da tabutins e encomendei sementes de milho crioulo, mine- maracujás e um feijãozinho engraçado de rosca. Minha mãe não ve a hora do correio entregar as sementes. Meu comentario hoje é pra isso agradecer a disposição que vc tem de dividir conosco o que sabe. Um beijão da Eliane.

Neide Rigo disse...

Eliane, a gente morre e não leva nada, não é? Então é melhor espalhar por aí nossas sementes..
Beijos, N

fernanda garcia disse...

Neide,
Quem sabe esse pé de feijão não te leva ao pote de ouro?
Embora nós, seus fãs, somos levados a vários potes de ouro todos os dias!!!
Abs,
Fernanda Garcia

Neide Rigo disse...

Poxa, Fernanda, seria ótimo, não?
Vou ficar atenta. Obrigada,
beijo, n

Daniel Brazil disse...

Tua prosa tá quase poesia. Linda!

Patricia Lieko disse...

Neide,
costumo fazer esse tipo de fava no lugar do feijão para fazer feijão (fava) tropeiro (a). É só cozinhar no mesmo ponto do feijão e temperar com o que estiver disponível: bacon, linguiça, cebola, alho e farinha de mandioca. Fica muito bom.
Ah, de quebra, no lugar da couve, jogo umas folhas de serralha rasgadas previamente estaladas no alho e óleo.
Lieko

Gabriela, clavo y canela disse...

Olá, adorei conhecer seu blog. Morei no Brasil muitos anos e tenho boas lembrancas..
beijos
Gaby

Neide Rigo disse...

Daniel, obrigada pelas palavras de incentivo sempre!!

Patrícia! Ótima dica. Obrigada!

Gabriela, então a casa é sua. Seja bem-vinda!

Um abraço, N

Anônimo disse...

Oi neide, tudo bem? Vi seu blog no jornal da CBN, ouvindo sua entrevista. Hoje entrei no site e fiquei muito supresa com a foto do amendoim! Eu separei justamente essa semana 3 vagens de amendoim para plantar com as crianças, pois a mais nova outro dia desenhou uma árvore cheia de amendoins espalhados. Resolvi mostrar pra elas como pe, e te digo que penei atras desses amendoinzinhos. Eu também tento cultivar meus temperos, mas peno muito com o manjericão, sempre dá praga....Adorei as receitas e o blog, está de parabéns!!!!
beijos

Neide Rigo disse...

Anônimo (como é seu nome?), que bom que teve esta preocupação, de mostrar como os amendoins se enterram. Manjericão é assim mesmo. Vá mudando de lugar, quem sabe não é isto. Volte sempre, um abraço, N

Anônimo disse...

Neide, sempre te leio, nunca te escrevo. Mas dessa vez não dá pra calar. Você é demais... Estamos quebrando a cabeça, minha equipe e eu, pra informar e divulgar o que fazemos aqui com nossas famílias parceiras, indígenas, com simplicidade, sem demagogia e propaganda. Banco de sementes, cobertura verde, feijões vitamínicos e embelezadores, caixas de uruçu...É tudo o que vc. sabe fazer...Água na boca e no olho. obrigada pelo seu trabalho e pelo seu tempo a nós! Marina (Nina) Kahn

Neide Rigo disse...

Marina,
queria conhecer mais o seu trabalho.
Um abraço,n

Anônimo disse...

Olá Neide! Meu nome é Jerônimo, sou Agrônomo e professor de Agronomia em Petrolina-PE. Parabéns pelo blog! Excelente iniciativa! As pessoas precisam plantar mais, conviver mais com essa atividade milenar que faz bem! Gostei das favas. Onde conseguiu sementes dessa variedade? Coleciono favas aqui na Universidade. Abraço

Neide Rigo disse...

Oi, agrônomo!
Que bom saber que acompanha o Come-se. Estive em Petrolina há pouco tempo. Acho que comprei as favas no Mercado da Lapa, aqui no meu bairro, em São Paulo.
Um abraço,n