segunda-feira, 28 de junho de 2010

Brotos de amendoim em moqueca



Usei do jeito que aparece na foto do meio. Estes maiores não achei tão bons pra comer - dei pra crianças plantarem
Na onda daquela germinação toda, ficou para o final o broto de amendoim - coloquei dois tipos para brotar e usei o de película vermelha, com menos tempo. O brotos de amendoim cavalo, que havia trazido de Paraibuna, passou do tempo, já estava quase produzindo novos amendoins e por isto dei de presente pras crianças da Veronika plantarem na terra pra acompanharem as flores virar frutos que se enfiam na terra e maturam no escurinho.
Mas usei os vermelhos, depois de tirar a película que vai se soltando quase sozinha. Nem pensei em comê-los crus, pois começam a ganhar um sabor híbrico de amendoim e feijão que parece clamar mais por fogo que frio. Ainda assim, conservem a crocância dos cotilédones e um sabor amendoado mais delicado que no amendoim sem brotar. Pensei nele como na Tailândia ou Filipinas, onde são comidos como vegetais em refogados. E tem até o produto enlatado. Os brotos e raízes tem sabor adocicado e fragrante e o conjunto permite aquela variação que interessa à boca descobrindo diferentes texturas e sabores num só item.
Amendoim já é rico numa série de nutrientes como proteínas, vitaminas e minerais além de antioxidantes. Nos brotos, muitas destas substâncias aumentam ainda mais. É o caso do antioxidante resveratrol, que dependendo do tipo de amendoim usado pode chegar a quintuplicar ou mais - de 2,3 a 4,5 mcg/ g para 11,7 a 25,7 mcg/ g (veja trabalho sobre isto aqui) atingindo valores maiores que no vinho (veja aqui). Este polifenol pode ajudar na redução dos níveis de triglicérides e colesterol, prevenindo doenças cardiovasculares e inflamatórias. O teor de proteínas e gorduras diminui, o que é natural , à medida que vai se transformando de semente oleaginosa seca e crocante a vegetal mais tenro e suculento. Em compensação vira um alimento menos calórico.
Mas é a soma dele com tantos outros alimentos saudáveis que equilibra e nos interessa, porque ninguém quer saber de comer cinco amendoinzinhos brotados por dia só como segunda intenção pelo resveratrol cis ou trans. Importa é que é gostoso e é isto que nos impulsiona a comer coisas boas.
Atendendo ao pedido da leitora vegetariana Cristina Cordeiro, de Fortaleza, resolvi testar aquela mesma receita de moqueca de camarão, que comi com taro ou inhame, agora com brotos de amendoim. Juntei ainda cogumelos shimeji, mas nem precisava.
Para os brotos: deixei de molho amendoins bem lavados em água fria durante uma noite (ou umas 8 horas). No outro dia, escorri bem e deixei coberto sem fechar hermeticamente. Enxaguei e escorri umas três vezes por dia (ou sempre que passava pelo cozinha) e em uma semana eles estavam no ponto (veja como fazer direito aqui ou aqui)

Brotos de amendoim em moqueca
1/2 colher (sopa) de azeite de oliva
2 dentes de alho picados
1 cebola picada
1 tomate inteiro picado
1/4 de pimentão verde picado em quadradinhos
1/4 de pimentão vermelho picado em quadradinhos
1 pimenta dedo-de-moça inteira picada
4 colheres (sopa) de folhas de coentro picadas
200 g de brotos de amendoim (de uma semana)
200 g de cogumelos frescos (usei shimeji, mas poderia ser outro)
1 colher (chá) de sal ou a gosto
1/2 xícara de leite de coco
1 colher (chá) de azeite de dendê
1 colher (chá) de suco de limão
Numa panela de barro, aqueça o azeite, junte a cebola e mexa até murchar. Junte o tomate, os pimentões, a pimenta, metade do coentro picado, os brotos de amendoim e os talos do cogumelo picados (reserve o shimeji). Mexa delicadamente, polvilhe o sal e deixe cozinhar com a panela tampada por uns 10 minutos ou até os brotos ficarem macios (mas não moles). Se precisar, junte um pouco de água quente. Junte o cogumelo e espere aquecer bem. Adicione o leite de coco e tampe a panela. Quando a mistura estiver fervendo, experimente o sal e corrija, se necessário. Se quiser, junte mais pimenta dedo-de-moça. Regue por cima o azeite de dendê (use o puro, sem óleo de soja misturado, que é mais gostoso e mais colorido) e o suco de limão. Misture só a superfície, junte o coentro restante e sirva com inhame cozido ou com arroz branco.
Rende umas 4 porções


10 comentários:

Anônimo disse...

Olá, Neide
Estava muito compenetrada lendo sobre brotos de amendoim ricos em resveratrol cis ou trans, não importa e de repente ....vejo lá meu pedido, mais rápido do que podia imaginar, sendo atendido. E, olha, as fotos estão muito semelhantes.
Com certeza ficou delicioso e muito nutritivo.Tenho que testar, pelo inhame, pela moqueca e pelos brotos.
obrigada
Cristina

Anônimo disse...

Neide, e claro pela gentileza.
Cristina

Anônimo disse...

Neide, tô adorando essa série dos brotos. E morrendo de vontade de tentar, até comprei feijão mungo na liberdade esse final de semana. Só que normalmente eu saio de casa às 8hs e só volto 20hs... não rola, né, se eu não enxaguar nesse meio tempo?
Bjs Leticia Zero

Neide Rigo disse...

Cristina, agora tente você e me fale.
Obrigada você pela deixa!

Letícia, quem sabe se deixar um pano limpo (tipo morim)dobrado e umedecido embaixo e em cima dos brotos? Eu arriscaria.

Um abraço, N

Anônimo disse...

cara Neide,
adoreeeei esta receita, e olha que nem fiz ainda :-D
mas é que estou com brotos de amendoin quase no ponto e sempre que dou aquela lavadinha ficava pensando como prepará-los para uma super estréia. vai rolar.
Brigada querida.
Heliane Carvalho

coraçãodemaçã disse...

Olá!
Faço-lhe saber que apesar dos meus comentários esporádicos continuo a a vir cá com regularidade e mantenho-me sempre actualizada.
Além do mais, este é o meu "restaurante especial" preferido: estou bem sentada,tenho música em fundo que eu própria escolhi,sirvo-me do que quero nas doses que me satisfazem e...posso "comer" com os olhos sem constrangimentos e sem receio de que alguém me ache descarada:-)
Com carinho e admiração
Dri

Ana Maria Bittencourt disse...

Olá Neide!
Eu tenho o link do seu blog lá no meu blog. Sempre passo pra dar uma espiada... Hoje uma aluna de yoga postou no facebook a página da receita da moqueca. Vim aqui olhar e me deparei com "o amendoim que trouxe de Paraibuna", gostaria de saber se essa Paraibuna é a do interior de São Paulo, do lado de São José dos Campos. Se for, eu sou de lá, minha família mora lá e eu aqui em Ipatinga MG...

Neide Rigo disse...

Ana Maria!
A Paraibuna a que me refiro é esta da sua família, sim.
Um beijo e obrigada,
N

Anônimo disse...

Olá Neide, espero que você ainda verifique este blog constantemente!
Vi sua indicação de fazer os brotos do amendoim e achei muito providencial, pois eles enriquecem muito nossa alimentação e são super saborosos,além de conter a germinação em si, que dentro de nós, também têm um reflexo.
Coloquei-me a fazer a experiência. Fiz como você orientou, regava 3 a 4 vezes por dia, dependendo do calor. Tentei também fazer em outra vasilha separada sem tirar a casca. As duas germinaram!!! Achei fantástico e agradeci a você por me proporcionar esta experiência! Porém (sempre tem um porém..rs), no 4 dia quando eles estavam já desenvolvidos, quase no ponto de comer os brotos MOFARAM!!! Acredita? Fiquei pensando nas causas: ambiente muito úmido? reguei demais? Todas as possibilidades podem ser. Já aconteceu com você? Abraço, Prem.

KEFIR SAÚDE disse...

COMO FICOU DELICIA.. FIZ VARIAS VEZES COM ARROZ , COM CARÁ , COM NAHME E ATÉ COM MANDIOCA COZIDINHA EU ME SERVI .. E´MUITO BOM GENTE