terça-feira, 1 de junho de 2010

Berbigão na jalapeño

O berbigão é de Santa Catarina e eu compro congelado no Mercado da Lapa. As jalapeños são orgânicas, do sítio Jatobá, e trouxe da feira de produtores do Parque da Água Branca. Já o jeito de fazer foi inspirado apenas na foto da receita divulgada no site do revista Saveur, em que as pimentas aparecem recheadas com carne de caranguejo. Tinha visto a receita ao longo da semana e, quando estava preparando o berbigão com feijão branco no domingo, me lembrei das pimentas e me ocorreu usar um pouco do molusco para recheá-las. Lá, elas foram libertadas da película, de modo que a cobertura de empanamento ficasse mais aderida. Mas do jeito que fiz foi rápido, nem um pouco trabalhoso e as pimentas ficaram gostosas para comer de acepipe enquanto o feijão, um pouco desfalcado de berbilhões, não saia. E ficaram melhor ainda com o arroz branco, que equilibrou a ardência.
Jalapeños são pimentas da espécie Capsicum annuum, originárias de Jalapa, o México. No geral, são medianamente ardidas (30 mil de Unidades de Calor Scoville), mas hoje há muitos cultivares selecionados, além de híbridos, com variados graus de ardência. As minhas estavam bem picantes, melhores para comer assim, de pouquinho, junto com o arroz. Mas elas são bastante aromáticas e casaram muito bem com os berbigões.


Jalapeños maduras recheadas com berbigão
Lave bem cinco jalapeños, faça um corte ao longo delas e escave com uma colher de café para tirar todas as sementes. Reserve. Sobre uma tábua pique meia cebola pequena, um tomatinho cereja sem sementes, um pouco de salsinha e de coentro (usei coentro-de-pasto/ chicória-do-pará) e um pedaço pequeno de pão (usei a metade do que aparece na foto). Misture todos estes temperos, junte a mesma quantidade, em volume, de berbigão e uma pitada de sal. Comece a picar tudo junto de modo que vire uma mistura úmida e homogênea, quase como se tivesse sido triturada em processador, mas sem se transformar numa pasta. Recheie as jalapeños, passe-as por farinha de trigo, por ovo batido e, por fim, em farinha de rosca (usei um pão duro ralado). Agora, é só fritar em bastante óleo quente. Escorrer, polvilhar sal e nhac.
Feijão branco com berbigão
No freezer eu tinha um pacote de berbigão e um pouco de feijão branco cozido e quis fazer um almoço rápido no domingo para sobrar tempo de ver dois filmes à tarde. Resolvi misturar os dois para ver no que dava - qualquer ingrediente com leite de coco, coentro, pimentões e cebolas não pode dar algo de ruim. Marcos adorou e quis levar de marmita. De fato, no outro dia estava ainda melhor. Se quiser arriscar com o feijão branco, de corda ou qualquer outro, recomendo:
Numa panela coloque azeite e doure um pouco de alho picadinho. Junte cebola, tomate sem sementes, pimentão verde e pimentão vermelho, todos picados, tipo meia xícara de cada. Tempere com sal, umas duas colheres (sopa) de coentro picado e pimenta dedo-de-moça sem sementes picada. Se quiser, e eu quis, adicione 1 colher (chá) de colorau. Junte 2 xícaras de feijão branco pré-cozido e deixe ferver até o pimentão ficar macio. Se for preciso, junte água quente aos poucos (não muito, pois o berbigão vai soltar água e ainda tem o leite de coco). Junte o berbigão (meio quilo menos o tantinho que usei nas jalapeños) e 1 xícara de leite de coco e deixe ferver. Prove o sal, corrija se necessário. Desligue o fogo, junte umas 3 colheres (sopa) de salsinha picada e nhac com arroz branco e folhas de rabanete refogadas no azeite e alho. Rende umas 6 porções

6 comentários:

Anônimo disse...

ai, ai, ai!
isso é pura maldade..... vou ter que comprar uns "buzios" (que é o que tem mais parecido aqui em Natal com berbigão) e amanhã quando chegar em Aroeira vou colher todas as jalapeños pra fazer... nham, nham, nham.
bjs, adriana lucena

Nina disse...

ah, já morei em Floripa e confesso que não gostava muito, não... Sou de invernos azuis.

Mas, ah, que saudades do berbigão, das ostras, das ovas de tainha...

Beijo

Juliana Salomé disse...

Bom dia!
Adoro seu blog! Eu trabalho com alimentos e sempre que preciso fazer uma pesquisa sobre alguns que são um pouco mais difíceis de achar (por serem mais rústicos ou regionais), sempre encontro-os aqui. Acho maravilhoso!
Seu blog é cultura alimentar pura! Parabéns.

Juliana Salomé

Taty disse...

BUAAAAAAaaaaaaaaaaaaaaaaaa....
Neide isso é tortura demais!... Cade minhas sementinhas...buaaaa!!!

Beijo grande
Taty - Brasília

Véia da Teia disse...

o meu feijão já tá cozido, de manhã passo no pescador :)

Silas Sequetin disse...

Parabéns! Seu blog é muito bom!!!
Quando tiver um tempinho visite o meu; "vinhos Bons e Baratos!"
www.sequetin.blogspot.com

Silas Sequetin