sexta-feira, 14 de maio de 2010

Talos e restos nos interessam


Desde que sejam verduras limpas, saudáveis, não há porque jogar fora talos e folhas. Mas, em Paraibuna, foi a primeira vez que vi estas partes comestíveis tratadas com tanto respeito e vendidas como outra hortaliça qualquer. Os talinhos de couve foram fatiados finamente pelas irmãs Maria e Benedita, na feira de produtores rurais. Assim como as folhas de brócoli, que são deliciosas como as flores, disputavam atenção com a couve-manteiga em outra banca. Ambos mostrados no post da feira.
Nas feiras-livres os vendedores costumam perguntar se é pra descartar as folhas das cenouras, do nabo, do rabanete, do brócolis ou do repolho. É claro que não. Se a verdura está muito fresca, vão todas pra panela - bolinhos, sopas, no feijão, no arroz ou refogadas como acelgas, escarolas e couves. A gente sabe que a validade das folhas é menor que as partes de interesse especialmente cenouras, nabos e rabanetes. Então não dá pra esperar encontrar os dois elementos juntos nos supermercados. Estas preciosidades são desperdiçadas no próprio campo de cultivo, sendo que poderiam virar buquês de verduras vendidas por preços menores. Como os talinhos de couve que comprei a cinquenta centavos. Por isto, você só vai encontrá-las bem frescas nas feiras de produtores que fizeram a colheita no dia anterior. E ainda pode pedir para o vendedor as folhas que foram renegadas pelo comprador que passou antes de você. Pode reparar, muita gente despreza.
As folhas de cenoura fresquinhas são deliciosas e aromáticas, uma mistura do sabor característico da espécie com o perfume de salsa e salsão, da mesma família. São mais firmes que as outras folhas e podem ser cozidas junto com arroz, feijão ou sopas.
As folhas de rabanetes, nabos e rábanos são picantes e lembram as folhas de mostarda, da mesma família. E ainda nesta mesma família encontram-se as folhas de brócolis, de couve-flor, de repolho. Além dos talos das couves. Todos podem ser refogados, juntando um pouquinho de água por serem mais firmes, adicionados ao arroz ou usados como qualquer outra verdura. Ah, nem preciso reforçar que estas folhas geralmente são mais pigmentadas e, portanto, riquíssimas em betacarotenos (pró-vitamina A), vitaminas, minerais e outras substâncias antioxidantes. Com a vantagem de serem pobres em calorias. Minhas dicas:
Sopa de canjiquinha: usei os talos de couve na sopa que fiz com a canjiquinha comprada no supermercado de Paraibuna. Refoguei alho, cebola e uns dadinhos de bacon, juntei um caldo de galinha desengordurado, cubinhos de tomate, os talos de couve e um pouco de canjiquinha. Temperei ainda com alfavaca e pimenta vermelha. No final, um pouco de cheiro-verde e pimenta-do-reino e nhac!

Talos de folhas de brócolis no arroz: aqui usei os talos das folhas de brócolis que trouxe de Paraibuna. Refoguei junto com o arroz que preparei normalmente. Do mesmo jeito, usei no outro dia também as folhinhas de um nabo.
Folhas de cenoura no arroz com cúrcuma e coco: refoguei as folhas junto com o arroz e a água que coloquei para cozinhar foi antes batida no liquidificador com um pedaço de cúrcuma e outros de coco que sobrava no freezer. Nem coei, juntei tudo e ficou muito bom. Mas, se não quiser morder fiapinhos de cúrcuma ou coco, coe.

19 comentários:

J P Diniz disse...

Delicioso e educativo como sempre.

Chu :)! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Chu :)! disse...

Olá Neide!

Acabo de conhecer o seu blog e entrei também no Piquenique... Parabéns pelas postagens, pelas delícias informativas! Já coloquei os dois nos meus favoritos para visitar outras vezes e educar meu jardim e minha alimentação.

Sou de São Paulo e moro em Piracicaba. Há uns 4 meses eu e meu noivo começamos uma pequena horta em floreiras, e temos vasos com plantas ornamentais também. É ele o cozinheiro da casa e adora conhecer novos condimentos e comidinhas! Obrigada pelas postagens!

Abraços, Chu :)!

Joana G. disse...

Neide!!!
as folhas de cenoura para mim são uma novidade!
adorei!


beijos!

Neide Rigo disse...

JP, obrigada!

Chu, obrigada. É uma delícia fazer isto, não é? Eu plantei feijões na minha jardineira.

Joana, então experimente e verá.

Um abraço, N

Moira disse...

Neide,
Tem razão esses talinhos e folhas são uma delícia.
A minha mãe costuma fazer uma sopinha de feijão com talos de nabo e com a rama da cenoura faz esparregado, hummm que delícia.
Beijinho

Gilda disse...

Será cará do ar (cará moela)? Estou colhendo aqui em casa e acho que pode ser. Bom fim de semana.

Gilda

Dricka disse...

Olha que coincidencia, hoje mesmo enquanto picava a mineira um tantão de folhas de beterraba eu pensava em como muita gente ainda tem fome nesse pais e essas coisas deliciosas e nutritivas são descartadas, acabam num montão no chão da feira como se fosse algo maléfico, eu fico indignada quando compro brocoli ou beterraba com aquelas folhas lindas e alguem ao meu lado pede pra cortar e pagam sem pestanejar 2 reais num pé de alface. Acho que é uma questão de educação alimentar, algo que dado os tempos deveria ser disciplina escolar.
Bom seria que seu blog fosse programação do horario nobre na tv, com todas certeza faria muito mais pelo povo do que a grande maioria dos programas que pipocam nas telinhas por ai. Mas, enfim...
Vamos ficar nós aqui mastigando os nossos talinhos e torcendo para que Paraibuna seja um exemplo a ser seguido a nivel nacional.
Bjs

clau disse...

Intuitivamente eu sempre aproveitei aquilo que se descarta, por pura logica, por ojeriza ao desperdicio e gosto, tb. rss
E as folhas dos nabos, por ex., que seriam jogadas fora e nao custam nada, fazem um macarrao delicioso qdo saltadas em alho e oleo.
Basta sò pedir ao feirante para deixa-las reservadas e passar, misses depois,para pegar...
Bjs!

Ivana Arruda Leite disse...

Neide, do céu! Acabei de fazer esse arroz com coco, rama de cenoura e curcuma e ficou DELICIOSO! Obrigadíssima. Um beijo

Lilian disse...

Hmm, que delícia.
Eu gosto muito dessas coisas, mas pena que é incomum encontrar.

Folhas de cenoura, perfumadas, gosto de tempurás. Ficam sequinhas, crocantes, e continuam cheirosas.

Com folhas de rabanete/nabo, sou viciada em salada.
É só cortar fininho, por sal e deixar murchar. Então espremer pra descartar a água que é solta, temperar com um pouquinho de óleo/azeite e uma pitada de vinagre.

Assim, não se sente os pelos/espinhos das folhas.

Anônimo disse...

Olá Neide !

Quase 2 anos que acompanho o blog,e é o único que eu abro diariamente, mas nunca fiz um comentário, sobre as folhas de cenoura, elas simplesmente não existem aqui onde moro, semana passada fiquei procurando para fazer tempurá, mas não consigo encontrar ! Nem nas feirinhas, tudo já vem descascado e sem as preciosas folhinhas... bom,ficarei na vontade !

Um abraço ! Fabio Okubo

Adalgisa Campos disse...

(Neide, já que agora já me apresentei por email, vou perder a vergonha e comentar.)
Aqui em casa não tem talo nem folha que escape da panela. Meus preferidos são o talo e as folhas de beterraba. Aquilo refogado com alho e óleo eu comeria todo dia. E ainda por cima é bonito, mistura de roxo e verde escuro. Talo de erva doce, aquela parte mais verdinha e fibrosa mas que não é ainda a folha, descobrimos (na verdade a Elza que trabalha aqui em casa descobriu) que fica ma ra vi lho so numa sopa, batido ou picado com abóbora.
Hum, o problema desse seu blog é que dá fome só de ler.
Abraço,
Adalgisa

Neide Rigo disse...

Moira,
infelizmente por aqui há muito mais desperdício que na Europa. Mas aos poucos a gente começa a enxergar. Obrigada pela dica: feijão com talos de nabo e ramos de cenoura.

Gilda, a resposta é pro outro post, né? Obrigada.

Drika e Adalgiza, esqueci de falar das folhas de beterraba. Eu também gosto muito. Obrigada pelas dicas.

Clau, é mesmo, devem ficar boas com macarrão. Com uns cubinhos de bacon, alho. Hum...

Ivana, que legal saber disso.

Lilian, quantas dicas! Os leitores e eu agradecemos!

Fábio, que chato isto. Reivindique. Quem sabe começam a aparecer.

Um abraço, N

milu leite disse...

neide, acabo de conhecer teu blog e, embora eu saiba muito pouco de cozinha, fiquei com vontade de cozinhar! parabéns pela bela escrita, pelas informações generosas e importantes e pelas fotos maravilhosas.
abs
milu

Miguel disse...

Neide,

Adoro aproveitar o que vem à mão. A coisa que mais gosto é olhar para a geladeira e ficar inventando receitas com os "restos".
Uma que normalmente sai é quando faço couve refogada (pra uma feijoada ou virado).
Uso só as folhas cortadas finas com azeite e alho (salteadas, por favor, sem ficarem murchas!).
Os talhos, corto bem fino e refogo com cebola, alho e uns cubinhos de bacon gordo. Junto farinha de mandioca crua (fina ou grossa depende do gosto) e espero a farinha torrar um pouco.
Depois disso, é como você diz : nhac!

Abraço

Miguel disse...

Ah! Essa farofa que falei é ótima com um churrasquinho!

Rosângela disse...

Parabens pelo site...Fiz um curso de reaproveitamentos de alimentos pelo Sagri, mas com o corre, corre do dia é difícil cumprirmos as dicas mas estou tentando cultivar uma horta caseira se tiverem dicas para postar eu agradeço meu espaço é pequeno(terraço). Um abraço

Manuel disse...

Vou aproveitar umas ramas de rabanete do meu quintal para fazer esparregado.