segunda-feira, 17 de maio de 2010

Resposta à charada: cará-moela





Vários formatos e polpa de duas cores. O da penúltima foto, trouxe de Silveiras-SP, no Vale do Paraíba (é este roxo da foto de baixo).

O arroxeado faz uns chips assim, com frisos bem marcados. Este, foi comprado da loja da Bananinha Paraibuna.
Muita gente acertou a resposta para a charada do post anterior. É cará-moela, cará-do-ar, inhame-de-cerca ou o nome que se dê a este tipo de inhame (Dioscorea bulbifera). Já trouxe destas batatas de vários lugares diferentes e já não sei mais quem é de onde. Este, com a borda toda ondulada, acho que trouxe de Pirenópolis. Há os da quina bem definida, há os que tem forma de disco voador, outros de boca, de coração, há os de polpa branca, esverdeada ou quase roxa. O da foto ensolarada, todo arroxeado, com bordas retinhas, foi colhido no sábado, em Silveiras, no Vale do Paraíba, onde estive neste final de semana comendo içás e comendo broas em folhas de caetês (claro, serão tema dos próximos posts).
Obrigada a todos que arriscaram um palpite.
Para descobrir mais sobre esta delícia de inhame que tem um fundinho de amargo e também atende por cará, saiba que já abordei o assunto aqui.

6 comentários:

clau disse...

Este ai tem cara de um alimento meio surreal, Neide...
Hihihi!
Bjs!

Anônimo disse...

olá.
sou apaixonado por permacultura e estou a procura de tubérculos de cará moela para plantio. se alguém puder me ajudar meu e-mail é
claudineyduarte@ig.com.br
grato

claudiney

Anônimo disse...

Ganhei um bocado deles carás nesta semana,minha ex-sogra tem no quintal e não sabia do q se tratava,(nasceu sozinho no jardim dela)tive logo a lembrança de que meu pai certa vez trouce.Cozinei e comemos descascado.
Então fui a procura de informações sobre está bissara batata que tenho aqui em casa(inclusive brotando)fiquei muito feliz por saber que posso fazer farinha com ela,mas a felicidade durou pouco,pois descobri que a bissara tem ricos valores nutricionais,mais é rica também em glúten,e com faço dieta sem glúten,lactose,açucar e caseína por causa de reumatísmo...infelismente para mim não dá,mas vou plantar uma da batatas. Morro em sampa se alguém quiser, e-mail:ivemarks_reis@hotmail.com

Alessandro disse...

Desde criança, quando ouvia falar em cará, a imagem que me vinha era essa do cará-moela (que pra mim parece outra víscera, o fígado). Sempre foi esse que minha mãe cozinhava. Só depois de muito tempo, na faculdade de Agronomia, é que soube da existência do cará mais comum (o subterrâneo).

Maria Santos disse...

Nossa fique muito feliz em descobrir o nome dessa riqueza, desde pequena que conheço a batata, mais só agora aos 43 anos descubro seu verdadeiro nome, quando criança, morávamos no sitio eu e meus irmãos elá havia um pé, nós o chamava de cará babão e comíamos com frequência sito muita falta desse tempo, mais a pouco visitando uma amiga em Lagoa de Roça Pb descobri um pé no quintal de sua casa bem cheio e não deu outra

Anônimo disse...

Alguém comentou que tem glúten no cará-moela, isto não me parece verdade. Ana Luiza