segunda-feira, 10 de maio de 2010

Pão de amendoim e farinha de milho

Este, fiz assim que voltei de Paraibuna, no domingo passado, lembrando que não teríamos pão para a segunda-feira. A vantagem da máquina de pão e de ter sempre à mão farinha de trigo e fermento biológico seco é que em três horas você pode fazer a massa, deixar crescer no morninho constante - esteja a temperatura que estiver na sua cozinha, modelar e assar.
Eu nunca uso a máquina para assar simplesmente porque aquele paralelepípedo fofo que saí assado dela não tem a mínima cara de pão, não apetece. Então, prefiro usá-la só para bater e aquecer. O resto, deixe comigo, que é a parte mais gostosa da panificação - modelar. E assim, ainda faço o dobro de pão que a máquina conseguiria assar (para amassar, eu dou uma ajuda no começo; e pra crescer, tenho que abrir a tampa, mas é tudo por minha conta e risco).
Aproveitei o amendoim que trouxe da feira de Paraibuna e a farinha de milho do mercado municipal de lá. É um bom jeito de usar menos farinha de trigo nos pães e aproveitar ingredientes que cultivamos com mais facilidade por aqui. Apenas alterei um pouco a receita que já faço corriqueiramente. Só esqueci de medir a farinha de trigo, que fui adicionando aos poucos até a massa ficar no ponto de sovar. Algo entre quinhentos gramas e um quilo. O pão ficou bem macio e com gosto prazeroso de amendoim (o amendoim cru é mais suave que o torrado e seu sabor é mais amendoado).
A receita que dou é a de bacia, podendo fazer mesmo quem não tem a máquina. Mas, se você tiver uma, talvez seja melhor reduzir a massa à metade para não sobrecarregá-la (embora a minha trabalhe semanalmente desta forma desumana há mais de 10 anos).
Pão de amendoim com farinha de milho
1 envelope ou 1 colher (sopa) de fermento biológico seco
3 colheres (sopa) de açúcar
3 xícaras de água morna
Farinha de trigo até dar o ponto (entre meio e um quilo - esqueci de medir)
1 colher (sopa) de sal
2 xícaras de farinha de milho (comprei em Paraibuna a farinha de Cunha, muito boa, crocante)
1 xícara de amendoim cavalo cru (de casca rosada - ou use o comum)
1/2 xícara de óleo ou manteiga
1 ovo
Numa bacia, coloque o fermento, o açúcar e a água. Mexa bem e junte um pouco de farinha, suficiente para formar um mingau grosso. Espere uns 15 minutos ou até que forme bolhas. Junte, então, o sal, a farinha de milho e o amendoim triturado no liquidificador (reserve um pouco da farinha e do amendoim para polvilhar sobre os pães na hora de modelar, se quiser). Junte o óleo e os ovos, misture bem. Aos poucos, vá colocando farinha de trigo e mexendo até que possa passar a massa para uma bancada enfarinhada e sovar com as mãos. Vá adicionando farinha de trigo aos poucos, até conseguir uma massa uniforme, elástica, que se solte das mãos. Cubra a massa com plástico e deixe levedar, até dobrar de volume. Divida a massa em quatro, modele o pães, umedeça-os com água e polvilhe com o amendoim e farinha reservados (se optou por isto), coloque em assadeira untada com manteiga e polvilhada com farinha, cubra com o pano e espere crescer novamente. Antes de assar, faça cortes no pão e leve ao forno pré-aquecido, bem quente. Deixe assar por 10 minutos. Abaixe o fogo e deixe assar por mais 50 minutos ou até dourar.
Rende: 4 pães

7 comentários:

Yanna Clementino disse...

Oi Neidinha!
Nunca havia pensado na possibilidade de assar o pao fora da maquina. Eu também nao gosto nada daquela forma e por isso nunca me entusiasmei em comprar a maquina, mas agora que vc disse que modela e assa no forno acho que vou comprar uma porque de vez em quando eu fico sem pao.
Beijos

Neide Rigo disse...

Yanna, toda máquina tem uma programação que é só para amassar e crescer. E não precisa usar as receitas que vem no manual (eu nunca usei). A máquina é obediente e amassa o pão que você quiser. Meus pães são amassados quase todos na máquina (embora eu não fique sempre dizendo para não inibir quem não possui a máquina, afinal dos dois jeitos dá certo).
Ela é muito útil, acredite.
Um abraço,
N

Anônimo disse...

Neide,
Comprei a máquina de pão há dois anos qdo precisei fazer cirurgia nas mãos por problemas nas articulações, e não podia mais sovar a massa. Desde então faço como vc. A máquina amassa e o forno convencional assa. No domingo fiz a sua receita de pão com pinhão. Ficou delicioso!!
bjs,
marlene

Anônimo disse...

A máquina é ótima, tenho uma, mas o pão sai feio que só. Um monstrengo. Assar no forno comum e modelar fica ótimo. Parabéns Neide vou testar sua receita.

sodiba disse...

Poxa! Fui seca a receita, pensando que era um paozinho que minha avó fazia no forno a lenha, a salvacao nos tempos da II guerra, qdo faltou farinha de trigo, era preparado com amendoim torrado e moído, farinha de milho, polvilho azedo... Tempos bons aqueles da quitanda farta. Consegui adaptar uma receita para forno elétrico, mas por coisas da vida, perdi. Caso alguém saiba, por favor!

neivaralmeida@gmail.com disse...

Eu sabia que era possível apenas amassar o pão na máquina, isso é bom, mas há muito tempo não conseguia achar alguém que me explicasse se a gente é "obrigada" a fazer as receitas do manual. Só por isso ainda não havia comprado. Por acaso,você, sem querer, explicou que nunca fez as receitas do manual. Só tenho a agradecer pela informação,agora vou correndo comprar uma. Abraços, Neiva.

adelia sylvia penna ramos disse...

Oi, Neide! Pra mim, que tenho tempo, fazer pão só tem graça se for amassado com as mãos. Além de ser prazeroso, ainda se passa muito mais energia pro pão. Aqui tem a máquina, mas o que sai não tem cara de pão e nunca usei - como disse, tenho tempo pra sovar a massa por 40 minutos! bjs,
adelia