quinta-feira, 22 de abril de 2010

Farofa de farinha de mandioca e coco

Conforme prometi na postagem anterior, aqui vai a receita da farofa feita com o resíduo do coco e do camarão que comi hoje no almoço, ainda comemorando o dia da mandioca. Acompanhou bem o filé de peixe espada que fiz grelhado no azeite. Comprei o peixe no Mercado da Lapa num dia em que ele estava particularmente bonito, prateado e fresco. Trouxe pra casa inteiro, limpei e tirei os filés do meu jeito, tirando com pinça toda e qualquer espinha perdida entranhada na carne branca de cheiro suave (os peixeiros não tem paciência e tempo para isto). Dividi o filé comprido em pedaços pequenos e congelei. O bom do filé de espada é que tem cheiro suave que não se espalha pela casa durante o preparo. E melhor ainda que combinou com a farofa de coco que se juntou ao feijão-arroz cozido e taioba do quintal.

Farofa de farinha de mandioca e coco
3/4 de xícara de resíduo de coco (com casquinha de camarão seco e pimenta, da receita anterior, depois de extraído o leite)
1 xícara de farinha de mandioca (usei a de mandioca amarela, da Ilha do Marajó; se não tiver, use a branca, e cuidado porque a maioria das farinhas amarelas do mercado é tingida - na melhor das hipóteses com cúrcuma; na pior, com corante amarelo tartrazina).
1 colher (sopa) de manteiga (ou azeite de dendê se usou a farinha branca)
Sal a gosto
Coloque numa frigideira antiaderente o resíduo do coco ainda úmido e leve ao fogo. Mexa constantemente até secar (conforme se vê nas fotos). Quando a mistura estiver bem soltinha, junte a farinha de mandioca e o sal e continue mexendo. E quando a farofa estiver bem quente, junte a gordura escolhida e mexa rapidamente para impregnar toda a farofa. Deixe no fogo só mais um pouco, mexendo, para tostar os grãos com a manteiga e a farofa ficar mais crocante e sequinha (mas sem deixar mudar de cor). Gostinho de coco com toque bem suave de camarão. Com peixe frito ou cozido e nhac!
Rende: 1,5 xícara
Para o filés de espada: Fiz cortes na pele dos filés de um peixe espada (dois filés compridos divididos em pedaços de 10 centímetros), para pegar o tempero e não enrolar na hora de fritar. Piquei finamente um dente de alho, umas folhinhas de manjerona, de alfavaca e de tomilho, juntei com meia pimenta dedo-de-moça picada em quadradinhos, sal e umas gotinhas de limão e temperei os filés. Dourei dos dois lados numa frigideira antiaderente com um pouco de azeite e pronto.

6 comentários:

Mariângela disse...

Neide,que prato lindo.Hoje também fiz peixe,traíra que eu trouxe do mercado, o gosto ficou bom mas o aspecto ficou MEDONHO!!! é raro me acertar com o visual do peixe frito,uma lástima!!! Tens algum truque?beijo!!

Neide Rigo disse...

Mari,
o truque é usar uma frigideira antiaderente com pouco azeite, ajeitar nela os peixes com as mãos e ficar de olho, para não cozinhar muito. E uma boa espátula para virar, especialmente os peixes de carne mais delicada.
Duvido que seu peixe tenha ficado medonho. E também, por cima destes pratos lindos que vocês fazem, nenhuma comida fica feia.
Beijos, N

Maria das Graças disse...

Que belos filés! Sabe que na colonia de pesca do Posto 6, em Copacabana, os peixes são frescos e as vezes ainda estão vivos. Outro dia comprei uma espada e me descuidei enquanto ela estava sendo limpa e quando vi o peixeiro ja tinha tirado quase toda a pele. A beleza do filé de espada é a sua pele prateada.

Marcelo Del Fiore disse...

e o que fazer com aquela quantidade enorme de espinhos que o espada tem ?
Desisti de prepara-lo justamente por causa dos espinhos, embora a carne seja deliciosa.

Neide Rigo disse...

Maria das Graças, já fui conhecer o posto 6, mas quando eu fui não havia espada.

Marcelo, por isto eu mesma limpo e faço os filés em casa, porque tiro os espinhos um a um com pinça própria (à venda nas lojas do bairro da Liberdade). Não resta um. É trabalhoso, mas vale a pena.

Um abraço, n

Beto Boton disse...

Parabéns - Super Receita. Agradeço algumas dicas da sua Farofa pois estou escrevendo sobre Feijoada e procurava as diferenças da Farinha Amarela e Branca, que foram esclarecidas de forma simples e direta aqui.

Beto Boton