segunda-feira, 1 de março de 2010

Presente de Concepción, Chile


Estava agora há pouco falando ao telefone com minha amiga Kátia sobre a tristeza do terremoto no Chile, quando Eliana chegou com um pacote do correio. Chegou justamente de Concepción, onde houve o maior número de mortos, até onde sei. Yanna, uma leitora do Come-se, me disse que tinha postado os presentinhos no começo de janeiro e estava triste porque ainda não haviam chegado: pimenta defumada merquén ou merkén, alfajores, folhas de boldo verdadeiro e chá de rosa mosqueta (já tracei um dos alfajores, deliciosos apesar de tanto tempo em trânsito). Yanna é baiana casada com chileno, mora há 8 anos em Concepción, ensina técnica dietética numa universidade e faz confeitaria artística.
Agora fiquei preocupada com a amiga virtual, espero que esteja bem. Yanna, cadê você
? Adorei os mimos, obrigada!

10 comentários:

Anônimo disse...

OI Neide realmente triste o que aconteceu no Chile, a natureza anda brava ultimamentesinto que a maioria de nós Brasileiros não conhecemos muito o Chile, eu passei a interessar por causa de Violeta Parra e Pablo Neruda, e Salvador Aliende, pois tive um irmão que fugio para lá aquela epoca sabe né.mais eles estão capacitados a lidar comisto já tem experiência, fico pensando se fosse aqui meu Deus, Neide não sabia que tinha boldo que não fosse verdadeiro depois mostra a foto. beijos(Diulza)

Yanna Clementino disse...

Olá Neidinha
Que bom que tudo chegou, né. Acho até que foi meio impactante receber os presentes logo apos o terremoto, mas fico feliz que tenham chegado. Eu e meu marido assim como a familia dele,estamos todos bem. Nao estavamos em Concepción no momento do terremoto, mas sentimos forte aqui em Santiago. Onde mais morreu gente até agora foi no Maule, estamos esperando que tudo se regularize para voltar a Concepción. Quem tem familia ou amigos aqui no Chile devem tentar ficar tranquilos, o que se ve na televisao é só uma parte da realidade. A maioria dos lugares está com tudo bem.
Um beijo
Yanna

Mariângela disse...

Neide,que bom que a Yanna se manifestou e está tudo bem.E que ótimos mimos,os teus de Espanha(nem são muitos)seguiram hoje.Beijo!!

Neide Rigo disse...

Diulza,
também não conheço, mas queria. Uma tristeza mesmo. Aqui no Brasil temos muito falso boldo, que também é medicinal. Outro dia falo dos dois.

Yanna, fico feliz de saber que está tudo bem como você. Obrigada pelos presentes, pelo email mandando notícias e pelo comentário. Que tudo se conserte logo.

Mari, vem meu pimentón de la vera? Hum...

Um abraço, N

Anônimo disse...

Neide, minha amiga
Uns dias off e quanta coisa neste blog!
Tenho um boldo, mas não é o verdadeiro. É o Plectranthus (ou Coleus?) barbatus. É uma Labiada, de flores azuis e folhas peludinhas (aquele barbatus…).
Nunca fiz nada com ele. Limito-me a podar metade das flores (e não todas, pois as acho bonitas), para o adensar.
E esses alfajores chilenos, como são?
Não simpatizo com os daqui, de nuestros hermanos.

Fiquei aliviada com o facto de o sismo não ter sido tão mau como as Tvs o apresentam.
Bjs
Manuela Soares

Neide Rigo disse...

Manuela,
por aqui também temos desses, bem amargos. Usamos mais como digestivo.
Os alfajores chilenos são muito gostosos, mas não saberia compará-los com os argentinos.
beijos, n

Ana disse...

Putz...

david era uma vez... disse...

Neide,
Estou encantado com seu blog... Hoje é a primeira vez que o vi.

Tudo tão bem feito, tudo tão perfeitamente explicado! Estou a 2 horas lendo tudo sem parar... esta me viciando!
O bom é que como eu sou novato, todos os post são novos!

Parabens por alegrar todos os nossos 5 sentidos ( tá que a audição não tem muito a ver... mas os outros chega a ser possivel com a riqueza de detalhes dos seus ) textos)

David Ramos

Neide Rigo disse...

David,
obrigadíssima pelo elogio. Vou passar o dia com ele.
Um abraço, N

Claudia disse...

Ando procurando brasileiros que vivem em Concepción, que alívio ao me deparar com esse Blog. Vivo em Santiago numa comuna super movimentada, do jeito que uma carioca adora, e nem conheço Conce, mas tenho que ir, por força do trabalho do meu marido. Estou apavorada com essa mudança. Vc tem um restaurante ? Aonde fica ? Aliás, não sei aonde nada fica. rsrsr
Bj