sexta-feira, 5 de março de 2010

Maxixe-do-reino, maxixe-peruano, maxixe-do-norte. E outros recheados

De vez em quando encontro destes frutos na feira de orgânicos do Parque da Água Branca. No último sábado, não resisti e trouxe um pouco sem saber ainda o que fazer. Acabei recheando alguns poucos com aquele recheio aumentado dos pimentões e cambuci. E o restante fiz refogado à moda de moqueca.
Meio maxixe, meio pepino, o legume, batizado de Cyclanthera pedata (L) Schrad, é parente destes e de tantos outros frutos que conhecemos, da família das Cucurbitáceas - nigauris, cruás, abóboras, chuchus, melões, melancias, caxis e tantos outros. Como seus parentes, a planta é uma trepadeira originária da região centro-americana e pode ser encontrada, de forma subespontânea, tanto no Brasil como no México, Bolívia, Argentina, Colômbia, Chile e Peru. Alías, um de seus nomes é maxixe-peruano, já que naquele país há cultivo comercial mais intenso do legume (por aqui, parece se concentrar nas mãos de pequenos produtores que vendem apenas localmente, como é o caso do produtor da feira - sempre compro do mesmo).
Recebe ainda outros nomes Brasil afora, como boga-boga, cayo, taiuá-de-comer, maxixe-do-reino, maxixe-do norte, chuchu-de-vento, chuchu-paulista, chuchu-do-reino, pepino-de-comer, pepino-do-ar etc. Tanto o fruto quanto seus brotos podem ser consumidos como alimento. Eliana, que trabalha comigo, diz que na terra dela, no sertão da Bahia, costumam comer com carne, mas os frutos mais novinhos, quando não há necessidade de se tirar as sementes.
Tem textura meio fofa conforme amadurece, por isto é bom comprar quando estão bem verdinhos e crocantes. O sabor é uma mistura de maxixe, aspargo e pepino. Aliás, acho que lembra mais pepino. Então, tudo o que você faz com pepino, pode ser feito com ele. E refogado, como maxixe, também fica muito gostoso para comer de mistura. Como seus pares, é pobre em carboidratos, gorduras e, consequentemente, calorias, o que pode ser bom pra muita gente.
Como fiz:

Maxixe-do-reino recheado: usei aquele recheio aumentado. Mas poderia ter feito um parecido com o dos pimentõezinhos. Ou ainda com carne de porco, como mostro lá embaixo. Quando faço recheio para legumes, prefiro pegar pedaços de carne: acém, no caso da bovina, e pernil, no caso da suína, e picar com a faca. Acho que a textura fica mais agradável. Cortei os legumes ao meio e tirei as sementes. Recheei as barquinhas, polvilhei a superfície com queijo ralado e levei ao forno médio por uns trinta minutos. Como aperitivo, com uma cerveja e nhac!

Maxixe-do-reino cozido com molho
2 colheres (sopa) de bacon finamente picado
1 colher (sopa) de azeite
2 dentes de alho socados
1 cebola média picada
1 xícara de pimentões coloridos cortados em cubinhos
1 tomate grande picado em cubinhos
2 colheres (sopa) de coentro picado
1 pimenta dedo-de-moça com sementes, picada
1 colher (chá) de colorau
500 g de maxixe-do-reino cortado ao meio, sem sementes
1 colher (chá) de sal
1 xícara de água quente
1/2 xícara de cebolinha picada
Numa panela coloque o bacon, o azeite e o alho. Leve ao fogo e deixe dourar. Coloque a cebola, mexa e espere murchar. Junte o pimentão, o tamate, o coentro, a pimenta, o colorau, o maxixe e o sal. Despeje a água, tampe a panela e deixe cozinhar por cerca de 20 minutos ou até que o legume esteja macio. Prove o tempero e corrija, se necessário. Junte a cebolinha, desligue e o fogo e sirva.
Rende: de 4 a 6 porções
Outros legumes, para ideias de recheios

Estes outros tipos de mini pimentões, recheei com carne de porco, pimenta, cebola, alho e ervas frescas. Coloquei o recheio cru, cobri com algum queijo que já não me lembro qual (Samsoe, talvez) e assei até que ficassem assim. Só guardei a foto.

Jiló recheado: veja a receita aqui.

5 comentários:

clovistass disse...

Olá tudo bem?
Gostaria de saber se há alguma empresa de sementes que comercializa esta variedade?
Atenciosamente,
Clóvis.

opiniãogourmet.com.br disse...

Também comprei sem conhecer, e pretendo fazer recheado como vc, gostei da ideia, obrigada.

Anônimo disse...

Conheço desde criança e costumo plantar na minha horta para consumo próprio. Aqui na nossa região chamamos de chuchu-bucha. Gosto muito.

Aparecida Barroso disse...

Aqui na minha região este alimento é conhecido como maxixe ar, é muito saboroso e rico em vitaminas. Produz em grande quantidade em nosso clima, porém não é comercializado devido ser um lugar pequeno. Aqui os vizinhos distribuem entre sí esta hortaliça.
Aparecida Barroso. Leste de Minas Gerais.

Crist Silva disse...

Oi amei conhecer esse legume,Neide você sempre a me surpreender,fico pensando qual será a próxima coisa de comer que vou conhecer que nunca vi ou nunca imaginei.
Por favor se alguém tiver sementes pra me doar agradeço.Beijos